sábado, 30 de maio de 2009

Participem da Campanha do Agasalho!
É sempre bom colaborar.

beijos

Viviane

Campanha do Agasalho 2009

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Arroz

Vamos conhecer um pouco sobre o arroz... a base da nossa alimentação.

O arroz é classificado conforme o tamanho do grão em longo, médio ou curto. No momento da compra prefira o arroz de grãos longos ou médios e com a menor quantidade de quebrados. A cor dos grãos também é um indicativo de qualidade e, ao contrário do que às vezes se pensa, o arroz de grãos muito brancos é o que mais empapa, além de ter um valor nutritivo inferior. A cor pérola indica o melhor arroz.
A classificação numérica encontrada nas embalagens - Tipo 1 e Tipo 2 - determina a aparência e o grau de inteireza do grão de arroz. Em casa, o arroz deve ser mantido em recipiente bem fechado e armazenado em local seco e arejado. Para guardar o arroz já cozido, coloque-o em recipiente que feche hermeticamente e mantenha na geladeira.

Arroz Polido
Também conhecido como arroz branco, é o grão que foi descascado e polido, já sem importantes nutrientes. O grão curto e redondo tende a empapar quando cozido, não fica bom em pratos salgados, por isso é mais usado para fazer arroz-doce. O grão médio, com comprimento três vezes maior do que sua espessura pode ser usado em receitas salgadas ou doces, mas é especialmente indicado para o preparo de risotos.

Arroz Arbóreo
É um tipo polido, grão médio sendo ótimo para risotos. O grão longo é a escolha ideal para a maioria dos pratos salgados. Eles são de quatro a cinco vezes mais longos do que espessos. Quando cozido corretamente, fica leve e fofo, com grãos bem soltos. Ele concentra bastante amido, o que confere aquela consistência cremosa. Também tem uma incrível capacidade de absorver condimentos.

Arroz Parboilizado
A palavra parboilizado teve origem na adaptação do termo inglês parboiled, proveniente da aglutinação de partial + boiled, ou seja, "parcialmente fervido". O processo de parboilização baseia-se no tratamento hidrotérmico a que é submetido o arroz em casca, pela ação tão somente da água e do calor, sem qualquer agente químico, fazendo com que o nutrientes vão para dentro do grão. É devido a este processo que ele concentra vitaminas do complexo B, importantes para afastar doenças cardiovasculares. Suas vantagens são:
- Rico em vitaminas e sais minerais, devido ao processo de parboilização;
- Quando cozido, fica sempre soltinho;
- Rende mais na panela;
- Requer menos óleo no cozimento;
- Pode ser reaquecido diversas vezes, mantendo suas propriedades;
- Alto grau de higiene no processo de industrialização;
- Conserva-se por mais tempo.
O Brasil detém a tecnologia de parboilização mais avançada do mundo!

Arroz Integral
Este tipo mantém a camada externa do grão, o farelo. Além de conservar vitaminas do complexo B, contém fibras benéficas ao intestino.

Arroz Selvagem
Apesar do nome, não é arroz verdadeiro, mas sim uma gramínea aquática, com longas sementes escuras. Por ser caro, em geral é misturado ao arroz integral. Mais nutritivo e rico em proteínas, sais minerais e vitamina B do que o arroz comum. Bom acompanhamento para carnes e aves.

Arroz Negro
Ainda não é muito popular por aqui, embora seja conhecido na China há milhares de anos. Contém um pouco de ferro e, portanto, pode ser útil para afastar a anemia.

Arroz Patna
É o nome dado a uma variedade particular de arroz indiano, de grão longo.

Arroz Basmati
Outra variedade de arroz indiano longo, cultivado perto do Himalaia. Tem sabor peculiar e é o acompanhamento ideal para os pratos indianos.

sábado, 23 de maio de 2009

Queijos

Quem não gosta de queijos com um vinho nestes dias mais frios?
Pois é, os queijos têm boa quantidade de cálcio, mineral importante para nossos ossos!

Mas, precisamos tomar cuidado pois os queijos podem ter uma rande quantidade de gordura e sódio (sal), portanto, atenção para quem colesterol elevado e pressão alta!

Estou deixando uma tabela de queijos, pois assim fica mais fácil escolher a melhor opção para quem precisa de cálcio, mas também precisa cuidar do peso, das gorduras e do sal!
Bom divertimento!









segunda-feira, 11 de maio de 2009

Vegetariano...

Esta é uma matéria que saiu na Folha de SP - 11/05/2009

Vegetarianismo na balança
Vista como "cool' pelos jovens, dieta sem carne pode esconder distúrbios alimentares -mas, se benfeita, é saudável CHICO FELITTI DA REPORTAGEM LOCAL
Você passou a vida ouvindo sermão de vegetarianos sobre como quem não come carne é mais saudável? Contra-argumente: 20% dos jovens que se dizem vegetarianos na verdade sofrem de distúrbios alimentares, aponta uma pesquisa da Universidade de Minnesota (EUA).Foi analisado o hábito alimentar de 2.516 americanos com idades entre 15 e 23 anos. Quase um em cada 20 deles (4,3%) disse não comer carne.Dentre os vegetarianos, dois de cada dez admitiram usar a dieta verde para perder peso ou para mantê-lo. No controle da balança, usam táticas como comer pouco e vomitar.Um quarto dos jovens americanos disse que vegetarianismo era "cool" (bacana) em pesquisa do instituto Teenage Research Unlimited.No Brasil, o bacana é proteger os bichinhos: "A maioria dos vegetarianos com distúrbios diz que parou de comer carne por ter dó dos animais", diz Henrique Torres, médico do Núcleo de Investigação em Anorexia e Bulimia da Universidade Federal de MG.Cerca de 90% dos pacientes dele são mulheres com menos de 20 anos. "Elas muitas vezes mascaram problemas graves com vegetarianismo, que é aceito por pais e por amigos."Há poucos números oficiais sobre esse tipo de dieta no Brasil. Mas em países como o Reino Unido, a porcentagem de quem não come carne cresceu. Foi de 1,8% da população nos anos 80 para 7% em 2005. A proporção de jovens "verdes" é ainda maior: 12%.Mas vegetarianismo não é distúrbio: "Os vegetarianos, quando comem "direito", têm menos chances de ter doenças cardíacas e diabetes", diz Ramona O'Brien, nutróloga que fez a pesquisa americana.O trabalho indica também que os "vegetas" com dieta balanceada tendem a ingerir mais vitaminas e menos gordura do que quem come carne.Carne? Que nojo!Mais vitaminas e bem menos comida, no caso de Bianca**, 20. Ela estuda medicina em Florianópolis, onde mora só e cozinha para si. Não come nada que não tenha feito ela mesma.Quando os amigos vão a um restaurante em que se come carne ("Que nojo!"), ela fica em casa e faz um estrogonofe de vegetais com leite de soja.Ela perdeu 8 kg em nove meses de dieta "vegan" -não come ovos, leite e nenhum outro produto que venha de animais. Ainda faltam 3 kg, afirma.Por mais que diga comer "bem", está com falta de nutrientes, diz sua nutricionista.Essa mistura de "boa" alimentação com debilidade pode ser ortorexia, diz Luciana Florenzano, médica do Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Instituto do Hospital das Clínicas de SP.Como Bianca, ortoréxicos têm obsessão por pratos "saudáveis" e têm horror a gordura e a carne. "Todo ortoréxico é vegetariano, mas o contrário não é verdade", diz Luciana.O distúrbio foi descrito há pouco tempo e ainda não foi reconhecido pela Organização Mundial da Saúde, diz Luciana.Ana**, 20, é vegetariana há um mês. Deu a notícia no blog em que narra a epopeia para ir dos 95 kg que tinha ao começar a "postar" e os almejados 70 kg.Na página, feita há dez meses, admite ter tomado remédios inibidores de apetite e pede desculpas para as leitoras quando come três pães franceses. Pelos comentários, elas dão broncas, mas perdoam.A decisão de cortar a carne do prato foi tomada sem consultar um nutricionista. "Eles são sempre contrários, então pesquisei na internet mesmo."Desde então, perdeu 2 kg e diz que se sente "mais limpa". Quer deixar mais 15 kg de lado e voltar à forma que tinha quando foi eleita miss estudante, na Paraíba, há seis anos."Não faço essa dieta só com o intuito de emagrecer, e sim pelo bem-estar", afirma. Só que osentimento bom ainda não veio. Sente-se mais fraca desde que trocou as proteínas animais por chuchu e batata doce.Lentilha na piscinaCortar a carne da dieta sem procurar um especialista é o maior risco, diz a nutricionista da USP Silvia Cozzolino. Pode-se acabar virando um "vegetariano de batata", que só come carboidratos, por exemplo."O organismo do jovem tende a se adaptar a uma mudança de dieta", diz Silvia. Mas é provável que se precise de complementos de vitaminas.Há exceções: filho de vegetarianos, Juliano Vilela, 16, nunca tomou pílulas. Tampouco comeu carne. "Não sei qual é o gosto e nem quero saber."Os resultados de seus exames médicos são adequados para a idade, dizem os pais, e ele tem força suficiente para competir na natação. "Mas tem que comer lentilha depois da piscina."
** nomes fictícios

O acompanhamento nutricional é essencial para evitar carências nutricionais, seja em qualquer modificação no padrão alimentar, estilo de vida, hábitos familiares, preferências, enfim!
Beijos...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Relaxar ajuda a emagrecer!

Estamos sempre preocupados, com tudo, sempre na correria com casa, família, trabalho, e ainda pior...preciso emagrecer! Pois é, está aí um pensamento errado!!! Não podemos deixar que fazer "dieta" se torne mais um problema, desta maneira quem aguenta viver?
Vamos começar a pensar diferente!
Primeiro, esqueça a palavra dieta, vamos fazer reeducação alimentar. Dieta parece algo muito restrito, sofredor, e por pouco tempo! E queremos nos manter sempre com peso legal, não é mesmo? Se dieta é por pouco tempo, então a coisa não funciona. O tratamento eficaz para perda de peso é aquele que você consegue manter o peso para toda a vida. E você acha que isso é possível sofrendo?
Um estudo da Universidade de Otago, na Nova Zelândia sugeriu que relaxar pode ser uma forma eficaz de perder peso. Muitas vezes as pessoas comem sem preceber, pois estão preocupadas com outras coisas, ou a vontade de emagrecer é tanta que fica se torturando, as vezes até sem se alimentar.
É importante pensar que para perder peso tem que existir algumas restrições e compensações sim, porém não deve ser algo impossível de seguir. A abordagem a seguir deve se concentrar em melhorar o estilo de vida para reforçar a saúde.
Precismos estar bem para que tudo na vida tenha sucesso!
Vou colocar nas próximas matérias do blog algumas técnicas comportamentais que podem ajudar a incorporar um hábito de vida mais saudável, além de aumentar a adesão aos tratamentos de perda de peso!
Aguardem...
Abraços