sábado, 19 de dezembro de 2009

Fim de Ano...continuação

Continuando as dicas para o fim de ano....cada vez mais perto!
Aguardem...novidades para o 2010!


1) Consuma apenas bebidas lights. No caso de bebidas alcoólicas, não pense apenas no valor calórico, pense também na quantidade ingerida. Evite “goles” muitos longos para não encher o copo a todo o momento. Se não quiser parecer antipático e ficar recusando as bebidas, é só segurar um copo de água ou refrigerante light por um bom tempo.

2) Petiscos: jamais coma salgadinhos fritos. Faça dos salgados uma preparação mais leve, menos calórica e com menos colesterol. Consuma sempre os assados.

3) Chegou a hora das carnes: prefira as mais magras, retire a gordura visível da carne. O peru é menos calórico do que o chester. mas cuidado com a quantidade de sódio dos produtos defumados.

4) Ao escolher a sobremesa dê preferência ao mousse de fruta do que o de chocolate. Evite doces que contenham muitos cremes, chantily, cobertura, recheio. Prefira uma salada de fruta, mas claro sem adição de outro ingrediente.

5) Evite preparações enfeitadas com fios de ovos, pois são extremamente calóricos!! Decore com frutas. Prefira as frutas frescas ao invés das desidratadas ou em conserva.

6) Se no dia tiver churrasco consuma a salada antes dos pratos quentes, mas cuidado com os temperos, dê preferência para o limão e o vinagre.

Agora é só aproveitar as festas sem ficar com alguns quilinhos a mais!!!!

Grande abraço!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

FESTAS DE FIM DE ANO...


As festas estão chegando. Para muitos é uma época difícil, já que além de muitos eventos...têm muitas guloseimas! É época de curtir as festas, reencontrar familiares e amigos, comemorar as conquistas do ano que se passou e torcer para que venha mais, porém sem esquecer que... alimentação é muito importante. Não devemos descuidar.


Então vou passar uma série de dicas para esta época, ok?


Aproveitem para sugestões de temas!


1) Se você não conseguir emagrecer durante as festas, tudo bem. Mas pelo menos coloque como objetivo a manutenção de seu peso.


2) Evite ficar sem comer por muito tempo, pois o organismo entra em sistema de alerta e tudo que comemos vira gordura.


3) Na praia, use como intervalo picolé de fruta ou água de coco, além de refrescantes, pode suprir a necessidade de doces!


4) Faça uma refeição leve durante o dia, pois assim não estará com fome e poderá saborear as delícias da festa sem abusos. Quando estamos com fome fazemos loucuras!!


5) Se for você que vai preparar a ceia, pense nas preparações mais lights.


Estamos só começando....

beijos

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Vamos cuidar dos nossos adolescentes...


Os pais precisam estar atentos, estar gordinho, não significa apenas estar "fora dos padrões estéticos". Pode significar não estar em plena saúde.
Os adolescentes não se preocupam com saúde. O fato de alguém dizer que no futuro ele pode ter um problema cardíaco ou diabetes, não é preocupante naquele momento. Quem já não pensou quando adolescente: "Sou imbatível, nada acontecerá comigo!"
Este estágio de vida é para se conhecer, aprender, então precisamos orientar, e não só punir e brigar.
Bom, este tema, adolescência, pode me deixar escrevendo muito, risos...então vamos ao artigo.

Incidência de gordura no fígado em adolescentes obesos é de 50%, indica estudo
Estudo da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), identificou que aproximadamente 50% dos adolescentes obesos atendidos pelo Grupo de Estudos da Obesidade (GEO) do Departamento de Biociências, no Centro de Estudos em Psicobiologia e Exercício (CEPE) da Universidade, apresentam algum grau de esteatose hepática não alcoólica (NAFLD - Non-alcoholic fatty liver disease), o que significa acúmulo de gordura no fígado.


Consequências do acúmulo de gordura no fígado
Essa doença tem sido considerada como o novo marcador da síndrome metabólica (conjunto de alterações no metabolismo) , caracterizada por aumento das chances de desenvolvimento de diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares associadas à obesidade e à morte precoce. A pesquisa apontou os fatores mais determinantes para o desenvolvimento da NAFLD.


Causas para o desenvolvimento de acúmulo de gordura no fígado
Os adolescentes obesos que tiveram diagnóstico para esteatose apresentam aumento circulante do neuropeptídeo Y (NPY), principal fator orexígeno, responsável pelo aumento da fome. Além das alterações comumente apresentadas em obesos, esses pacientes têm ainda uma alteração na regulação neural do balanço energético, o que dificulta o emagrecimento.
Entre os fatores determinantes para o desenvolvimento da doença, a ingestão elevada de carboidratos e de gorduras saturadas, encontradas em frituras e produtos industrializados, é forte estimulante para o aumento deste neuropeptídeo. A gordura saturada está correlacionada ao aumento da gordura visceral (depositada na região abdominal do corpo), que está associada ao aumento das chances de doenças cardiovasculares e morte precoce.
Foram avaliados desde 2004, cerca de 300 adolescentes, com idade entre 15 e 19 anos. Entre os que apresentaram a doença, foi observada a incidência de esteatose nos graus 1 (cerca de 30% de gordura no fígado), 2 (entre 30% e 60%) e 3 (de 60% a 90%). A partir disso, o paciente já apresenta quadro de fibrose e posteriormente cirrose. Embora as causas sejam diferentes, os efeitos são os mesmos da esteatose hepática alcoólica.
Os adolescentes diagnosticados passaram então por um ano de tratamento clínico, nutricional, orientação psicológica e atividade física. Metade conseguiu reduzir os níveis de gordura para índices considerados saudáveis. "A chance de cura existe, mas depende do emagrecimento. Também é importante que o paciente não perca peso muito rapidamente, porque quando ocorre o emagrecimento rápido, a gordura estocada nas vísceras (região central do corpo) vai diretamente para o fígado, que não consegue sintetizá-la a contento e exportá-la novamente para a circulação, aumentando a quantidade de gordura intra-hepática", explica a Dra. Ana Dâmaso, coordenadora da pesquisa.
A incidência da síndrome metabólica ocorre em cerca de 32% dos pacientes com obesidade mórbida. Nestes casos associados à resistência insulínica é preciso complementar o tratamento com medicação e as chances de cura da obesidade mórbida são menores. No entanto, ao final de um ano de tratamento, houve redução para 8% dos casos de adolescentes obesos com a síndrome.
Tratamento
O Programa de Intervenção Interdisciplinar em Obesidade para adolescentes do Grupo de Estudos da Obesidade (GEO) do Centro de Estudos em Psicobiologia e Exercício (CEPE) terá continuidade. O próximo grupo iniciará os trabalhos em janeiro de 2010 e as inscrições, para jovens entre 15 e 19 anos, estarão abertas de 9 de novembro a 18 de novembro de 2009 e de 13 de janeiro a 12 de fevereiro de 2010.
Os interessados deverão agendar entrevista por telefone: (11) 55720177, com June, Aline, Raquel ou Fabíola. Rua Marselhesa, 535 Vila Clementino (Próximo ao metrô Santa Cruz). O tratamento é gratuito, mas a Universidade não se responsabiliza por custos com transporte e alimentação.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Última parte - dicas comportamentais!

Olá, enfim a última parte das dicas de comportamento!

1) Evite ficar se pesando. Guarde a balança de casa! Pesar constantemente pode ser uma armadilha. Veja duas situações:
a. Perdi peso: “Oba, eu mereço comer uma pizza ou sobremesa”, se eu esquecer a quantidade....prejuízo na certa.
b. Ganhei peso: “Chega! Estou cansada de fazer dieta! Vou parar com tudo!” De repente você abandona o tratamento.

2) Identifique e diferencie: FOME, VONTADE e ANSIEDADE. São três situação que comemos de maneira diferente.
a. FOME: o que tiver você come, pode ser alface, não importa! Você come pensando em volume, portanto, come muito. Muitas vezes nem mastiga, outro motivo que leva a comer muito.

b. VONTADE: imagine a situação, você adora chocolate, mas um dia ficou com muita vontade de comer jiló. Não importa!!!Pode estar numa doceria, pode comer chocolate, mas a vontade do jiló continua. Se você tivesse partido para “matar” a vontade, talvez comesse menos. (observação: as grávidas e os maridos sabem do que estou falando, risos).

c. ANSIEDADE: comer qualquer coisa para esquecer de alguma dificuldade. Conclusão? Continua sem resolver seu problema, e talvez ganhou mais...culpa por comer o pacote de bolacha! Será que vale a pena?

3) Cuidado com os beliscos. Coisas pequenas e de baixa caloria podem enganar! Pense em uma bala de 10 calorias. Pouco, não é mesmo? Agora pense no pacote de bala?

4) Qualquer atividade física é valiosa! Escolha alguma coisa que te dê prazer.

5) Entenda que ao utilizar medicação para emagrecer, não significa sucesso absoluto. Você ainda é o principal fator para o sucesso.

6) Se valorize! Reconheça suas conquistas!

Espero que estas dicas ajuddem todos.
Utilizem o espaço de comentários para expor experiências! Vamos utilizar o blog como um canal de comunicação e trocas de experiências!

Grande beijo

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Açúcar e gordura inibem saciedade e levam a comer mais

Estou colocando alguns trechos da matéria publicada na Folha on line. Meus comentários estão em vermelho


...pesquisadores apontam mecanismos fisiológicos e características específicas de alguns alimentos que levam as pessoas a comerem (bem) mais do que deveriam, burlando os mecanismos que levam à sensação de saciedade.
Os limites que devem ser impostos ao comensal para que pare de comer vão além da impressão de estômago cheio. Por isso, reconhecer os ingredientes que levam ao engano do organismo e não se deixar levar somente pela sensação de saciedade para encerrar uma refeição ou uma rodada de petiscos pode ser crucial para evitar ganho de peso indesejado ou prejuízos à saúde.
Eu sempre digo que quando começamos comer algum doce, a vontade de continuar é grande. É difícl apertar o freio. Por isso, tome cuidado e observe sempre o que está comendo, e por quê está comendo!!!
"É verdade que caloria é sempre caloria. Mas o que não é levado em conta é como algumas calorias afetarão o que as pessoas comerão depois", diz Aronne no livro ("The Skinny: On Losing Weight without Being Hungry" (o magro: perdendo peso sem passar fome; ed. Broadway Books), ele foi escrito por Louis Aronne, especialista em programas de controle de peso do New York Presbyterian Hospital, e ainda não foi lançado no Brasil), explicando por que alguns tipos de comida -independentemente do nível calórico- têm efeito maior no ganho de peso do que outros.
O autor cita alimentos feitos de carboidratos refinados, ricos em açúcar e em gordura como os maiores enganadores da sensação de satisfação.
Pois é, as vezes as pessoas questionam: um brigadeiro pequeno tem o mesmo valor calórico que uma fruta...então, prefiro o doce!!!E aí começa a grande dificuldade, comer apenas UM brigadeiro! Comendo, por exemplo, uma laranja, você sentirá maior sensação de saciedade e esta sensação durará mais tempo, isso porque as frutas contém mais fibras, que promovomem lenta absorção, promovendo então maior tempo de saciedade. mas agora vem a questão do trabalho de consientização! Lembre das dicas comportamentais....
Uma pesquisa norte-americana divulgada no último mês no "Journal of Clinical Investigation" também aponta relações semelhantes. O estudo, realizado em ratos, mostrou que alimentos que contêm ácido palmítico (substância presente em produtos ricos em gorduras saturadas) alteram a excreção de insulina e de leptina, hormônios relacionados ao apetite e à saciedade. Nos animais, os efeitos desses alimentos gordurosos duraram por volta de três dias. Teoricamente, como argumentam os pesquisadores, isso pode até ajudar a explicar por que algumas pessoas se sentem mais famintas às segundas-feiras, já que a maioria abusa desses alimentos nos fins de semana.
Bom, fim de semana é normalmente difícil para muitas pessoas...portanto, comecem encarar como dia comum, porém com mais tempo para nós!

Gorduras
Alimentos preparados com bastante gordura também são mais agradáveis ao paladar, o que propicia uma maior ingestão desse tipo de comida.
As gorduras também têm poder sacietógeno (de provocar saciedade) menor do que carboidratos e proteínas. Outros estudos recentes relacionam a excreção de grelina (outro hormônio relacionado ao apetite e à saciedade) e de leptina à ingestão de gorduras. "A quantidade de alimento e de calorias ingeridas em forma de gordura necessária para levar à produção desses hormônios que levam à saciedade acaba sendo muito maior", explica o endocrinologista Márcio Mancini, presidente da Abeso (Associação Brasileira para Estudos da Obesidade e da Síndrome Metabólica).
A pesquisadora Ana Maria Lottenberg, nutricionista da disciplina de endocrinologia do Hospital das Clínicas de São Paulo, estuda a ingestão de aveia e a ação das fibras do cereal nos mecanismos de regulação da grelina, para entender se a ação do alimento vai além do estômago cheio. "Quando ficamos algumas horas sem comer, os níveis de grelina sobem na circulação, estimulando o apetite. Alguns trabalhos sugerem que alimentos ricos em fibras, como a aveia, prolongam a queda da grelina, demorando mais tempo para subir de novo e mantendo a sensação de saciedade por mais tempo."

Então fica aqui a minha dica! Evite o consumo de doces e gorduras durante a tarde (horário crítico: 17h...risos), pois desta maneira a tendência é comer grande quantidade. Prefira os doces como sobremesa, pois assim é possível consumir bastante fibras da salada, e evitar assim, tudo o que falamos do açícar!
Ah, e lembrem-se....quando falamos em doces, está embutido, na maioria das vezes a gordura também! A grande amaioria das preparações tem a gordura como ingrediente!

JULLIANE SILVEIRA da Folha de S.Paulo
fonte:
http://www1. folha.uol. com.br/folha/ equilibrio/ noticias/ ult263u635271. shtml

Beijos, e aproveitem as dicas!!!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Dieta mediterrânea ajuda a prevenir depressão

Esta matéria foi publicada pela BBC Brasil. Mais uma vez a alimentação colaborando para nosso bem estar!

Dieta mediterrânea
Rica em ácidos graxos monoinsaturados como o azeite de oliva
Consumo moderado de álcool e laticínios
Baixo consumo de carne vermelha
Alto consumo de legumes, verduras, frutas, castanhas, cereais e peixe

A dieta mediterrânea - que, acredita-se, protege contra doenças cardíacas e o câncer - pode ajudar também a prevenir a depressão, indica um estudo feito por pesquisadores espanhóis.
A dieta se baseia em alimentos que tradicionalmente são consumidos nas cidades às margens do Mar Mediterrâneo, daí o seu nome. Ela inclui grãos integrais, hortaliças, oleaginosas, azeitonas, azeite de oliva extra virgem e menos carnes vermelhas, que são substituídas pelo consumo de peixe.

Os cientistas espanhóis constataram na pesquisa que pessoas que seguem essa dieta têm 30% menos chances de desenvolver depressão.
A equipe, das Universidades de Las Palmas e Navarra, monitorou 10.094 adultos saudáveis durante quatro anos e publicou seu estudo na revista científica Journal of the American Medical Association.

Padrões Alimentares
A equipe recrutou estudantes universitários e pediu que eles preenchessem questionários com informações sobre seus hábitos alimentares.

Com base nas informações, os pesquisadores calcularam a adesão dos participantes à dieta mediterrânea durante um período de, em média, 4,5 anos.
Os que apresentaram maiores índices de adesão à dieta tendiam a ser homens, ex-fumantes, casados e mais velhos.

Eles também eram mais ativos fisicamente e apresentavam um consumo total de energia mais elevado.

Os pesquisadores identificaram 480 novos casos de depressão durante o período em que monitoraram os participantes - 156 nos homens e 324 nas mulheres.
O estudo concluiu que os que apresentavam maior adesão à dieta tinham 30% menos probabilidade de ter depressão.

O estado civil, o número de filhos e outros indicadores associados a estilos de vida saudáveis também foram considerados pelos pesquisadores ao se calcular a probabilidade de desenvolver a desordem.

Mais Pesquisas
O pesquisador Miguel Martinez-Gonzalez, da Universidade de Navarra, disse que os resultados terão de ser confirmados em estudos mais longos e com mais participantes, mas acrescentou que o atual estudo encontrou uma forte associação inversa entre a dieta mediterrânea e depressão.
"Trinta por cento é uma redução grande no risco e isso poderia ser muito importante considerando-se quão sérias são as consequências de uma depressão." Gonzalez disse ainda que é provável que a dieta de maneira geral seja mais importante do que o efeito de componentes individuais.

A psicóloga clínica Cecilia D'Felice disse que há cada vez mais evidências de que a dieta é importante no tratamento da depressão. Ela disse: "O que nós sabemos é que uma dieta rica em azeite de oliva aumenta a quantidade disponível de serotonina". "A maioria dos antidepressivos trabalha para manter mais serotonina no cérebro."

Matéria publicada pela BBC Brasil

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Mais dicas de comportamento...

Olá!
E aí, como foi o treino com as dicas anteriores?
Comentem... Podem colocar as dificuldades e expreiências pessoais nos comentários!
Estou colocando mais algumas dicas.

1) Evite se alimentar com outra atividade (TV, computador, lendo), pois desta maneira não percebemos de fato o que e que hora comemos... Conclusão? Fico me perguntando: será que almocei?

2) Mastigue devagar! Solte o talher a cada garfada. Quando mastigamos devagar, o cérebro consegue identificar mais rápido a saciedade.

3) Sirva porções menores do que o habitual. Utilize utensílios menores.

4) Faça a lista de compras antes de ir ao supermercado e não deixe de seguir a risca!

5) Ficamos com vontade de comer tudo o que vemos pela frente quando estamos com fome. Portanto, evite entrar no supermercado, padaria, ou qualquer estabelecimento relacionado com alimentação com fome!

6) Cuidado com o pensamento: “chegou o fim de semana, e agora posso comer tudo o que deixe de comer na semana! Eu mereço”. Conclusão? Recupero o peso eliminado em dois dias, e desta maneira fico em efeito “iô iô” durante o tratamento. Isto desanima qualquer um!!!

7) Sim, você realmente merece ter prazer em comer. Mas será que não é melhor aprender como e quando colocá-las no seu dia a dia? Escolha 2 ou 3 refeições com alguma guloseima por semana.

8) Se tiver festa sábado e domingo, evite qualquer guloseima durante a semana.


Bom, espero que ajude mais!
Ainda tenho mais dicas para escrever!

Grande beijo a todos!

Viviane

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Dicas de comportamento da Nutricionista

Lembram que eu iria colocar algumas dicas para ajudar na redução de peso?
Então vou colocar em três etapas algumas dicas, ok?
Espero que ajudem a todos
!

1) Comece mudando o nome DIETA. Este termo dá a impressão de que é algo sofredor, e pior, por curto tempo. Veja só, quantas vezes você não disse assim: “vou fazer dieta para perder 2 quilos até o casamento”. Passa o casamento, e volta os dois quilos!

2) Você acredita que está neste mundo só para sofrer? Então, por que fazer dieta a vida inteira?

3) Pense em reeducação alimentar, pois desta maneira você aprende a comer e se dá bem em qualquer situação!

4) Perceba os alimentos! Sinta ao máximo as qualidades do alimento que você come.

5) Identifique e “curta” os quatro sentidos (olfato, paladar, visão, tato) do alimento! Sua refeição deve ser tão atrativa quanto aquela vitrine do shopping!

6) Evite alimentação automática.

7) Varie bastante os alimentos que você come. Ou você aguenta comer barra de cereal, iogurte, salada e grelhado todo dia? Assim não dá, não é mesmo?

Bom, vou colocando aos poucos para que possamos refletir e colocar em prática!
Beijos

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Emagrecimento...bicho de sete cabeças?

O alimento, além de nutrir, é sinal de afeto. Quando o bebê está chorando, suspeita-se em primeiro lugar de FOME. Então lhe é oferecido leite para saciar a fome, e neste momento já estabelecemos relação alimento/emoção. O bebê percebe que se chora, “ganha” comida. Claro que ele vai aprendendo (e os pais também) que o choro pode expressar diversos sentimentos, que não só o alimento. Para o bebê, “matar a fome” pode ser sinal de aconchego e carinho. Comer pode ser sinal de compensação, seja esta positiva ou negativa, prazer, raiva, enfim...

O tratamento para obesidade é muito complexo já que é considerada uma doença multifatorial (quer dizer que pode acontecer por vários fatores), portanto a escolha e o sucesso do tratamento, também não é tão simples!
Precisamos conhecer primeiro nossa relação com o alimento, que nem sempre é apenas saciedade. Afinal, por que comemos? Comemos porque estamos com fome, estamos tristes, alegres, comemorando alguma data especial? Pois é, percebe que não é tão simples?

Sempre aconselho o registro alimentar associado às sensações e emoções do dia, pois desta maneira, podemos conhecer melhor nossos hábitos. Pense antes de se alimentar. Identifique se você está comendo porque está com fome, vontade de comer ou por ansiedade. Comemos de maneira diferente em cada uma destas situações. Se você chegar a conclusão que é ansiedade, procure fazer outra atividade no lugar de comer! Vá escutar uma boa música, converse com os amigos, enfim...mude o vínculo!

Não crie metas impossíveis! “Perder 10 kg em uma semana!” é possível ganhar na mega sena sem jogar? Então... Isto pode gerar frustrações desnecessárias, ao passo que metas compatíveis com a situação, faz com que você valorize cada momento, cada conquista, sendo assim, sinta-se cada vez mais incentivada a continuar.

Reflita sobre sua real vontade de emagrecer. É realmente sua vontade ou dos outros? Temos o momento certo para começarmos e quem decide este momento, é você!
Emagrecer exige seu comprometimento. O profissional te ajudará, com certeza, porém o sucesso depende muito de você.

Antes de começar... Mude o pensamento!!! Não pense em DIETA! A palavra dieta passa a impressão de sofrimento, tratamento curto e resultado a curto prazo. Será que você nunca se pegou dizendo “faço dieta a vida inteira”. Pois é, não está na hora de parar de fazer dieta? Será que ela realmente está funcionando?

Comece a pensar em Reeducação Alimentar. O processo por ser mais lento, porém, com certeza mais efetivo.

Bom, hoje, só coloquei a cabeça de vocês para pensar!!!Nas próximas semanas vou colocar algumas técnicas comportamentais que podem ajudar na redução do peso. Porém, lembre-se sempre: procure um profissional pra que ele te ajude de maneira eficaz e personalizada nesta fase.

Grande beijo, até a próxima!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Prêmio TOP BLOG

Quero agradecer a todos que participaram da votação...estamos entre os três finalistas!
MUITO OBRIGADA MESMO!!!
Grande Beijo

Viviane

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Morcela

Recebi um email de uma leitora do blog pergntando sobre a morcela. Resolvi então publicar algo sobre o assunto, já que muita gente não conhece!

Morcela é um enchido feito com uma combinação de carne de porco (aparas de entremeada, língua e coração), sangue e arroz (em alguns casos) condimentada com alho, louro, cravinho, cominhos e cebola. Após o enchimento sofre um processamento térmico (cozedura), sendo arrefecida rapidamente e posteriormente colocada na área de secagem.

Na região Norte são características: a morcela de lombo (feita a partir de tripa de porco recheada com um preparado de lombo de porco cozido e picado, pão ralado, amêndoas pisadas, açúcar com água, canela e banha) e a morcela de sangue (feita como a anterior mas, em substituição do lombo de porco, leva sangue de porco cozido e ralado).

Em Portugal é um prato típico, sendo possível encontrá-lo em diversas regiões. A morcela confeccionada na região da Guarda é reconhecida como tendo grande qualidade, assim como as dos Açores e de Portalegre. Inclui pedaços de carne entremeada, ligados com sangue de porco, que lhe conferem uma cor escura. É temperada com diversas especiarias, contando-se entre elas os cominhos e o cravinho, que emprestam uma grande intensidade ao seu sabor. Pode ser servida assada, cozida ou fria. É frequentemente utilizada como complemento ao cozido à portuguesa, às fava com chouriço e à feijoada.

Os produtos tradicionais portugueses são produtos únicos que têm origem na região que lhes dá o nome e que têm uma forte ligação com essa mesma região, de tal forma que é possível demonstrar que a qualidade do produto é influenciada pelas raças animais, solo, vegetação, clima e tecnologia de fabrico.

A produção de alimentos tradicionais, tanto de forma “caseira” como a um nível mais industrial, deverá ser enquadrada segundo as exigências atuais de higiene/salubridade, numa perspectiva de proteção do consumidor. Este, não só valoriza as propriedades organolépticas e nutricionais dos produtos tradicionais como tem vindo a dar cada vez mais importância à segurança dos alimentos.

Neste contexto surgiu a adoção de estratégias de valorização comercial dos produtos tradicionais, através da certificação e consequente atribuição das marcas. O processo de certificação constitui um importante passo de defesa destes produtos, uma vez que procura assegurar as condições de higiene com que estes são produzidos, bem como o respeito pelos métodos de fabrico tradicionais, garantindo, assim, a autenticidade e a origem dos produtos.


Morcela Preta
Informação Nutricional (Porção 45g - 9 fatias )
Valor calórico = 112kcal
Carboidratos = 2.4g
Proteínas =7.2g
Gorduras totais =13g
Gorduras saturadas =4g
Sódio = 368g


Morcela Branca
Informação Nutricional (Porção 40g - 11 fatias )

Valor calórico = 96kcal
Carboidratos = 2.4g
Proteínas = 6.4g
Gorduras totais = 14.6g
Gorduras saturadas = 4g
Sódio = 280g

Acesse o site www.coopsantaclara.com.br/confrariagourmet e confira receitas com morcela.

Referências bibliográficas
http://www.coopsantaclara.com.br/site2006/produtos/produto.php?cod=72009
http://pt.wikipedia.org/wiki/Morcela

Retomando....

Olá!!! Peço desculpas a todos
pelo tempo que fiquei escrever...
...estou retomando!!!
Beijos

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Alimentos Orgânicos

Alimentos orgânicos são aqueles cultivados sem fertilizantes químicos ou agrotóxicos, são alimentos obtidos de maneira simples, pela ação da própria natureza. Uma grande vantagem atribuída aos alimentos orgânicos é de que são mais enriquecidos de nutrientes, uma vez que a terra utilizada no seu cultivo é fértil e natural e não há nenhuma interferência de substâncias químicas no processo.

Mas esta semana surgiu uma polêmica! Um estudo concluiu que eles não apresentam mais benefícios nutricionais. Leiam a matéria publicada no site da UOL.

No final do texto dou minha opinião!

Alimentos orgânicos não são mais nutritivos, segundo estudo
Da Reuters Em Londres

Os alimentos orgânicos não apresentam benefícios nutricionais superiores aos alimentos comuns, concluiu um estudo grande divulgado nesta quarta-feira.Pesquisadores da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres disseram que os consumidores estão pagando preços mais altos por alimentos orgânicos devido a seus supostos benefícios para a saúde, criando um mercado global de orgânicos que movimentou 48 bilhões de dólares em 2007.Mas uma revisão sistemática feita de 162 artigos científicos publicados nos últimos 50 anos não constatou diferença significativa entre os alimentos orgânicos e os outros.

"Constatou-se que existe um número pequeno de diferenças em teor de nutrientes entre os alimentos orgânicos e os que são produzidos convencionalmente, mas que é pouco provável que elas tenham relevância em termos de saúde pública", disse um dos autores do relatório, Alan Dangour."Nossa revisão indica que não existem no momento evidências que fundamentem a escolha de alimentos orgânicos em detrimento dos alimentos convencionalmente produzidos, com base na superioridade nutricional de uns sobre outros."Os resultados da pesquisa, que foi encomendada pela Agência de Padrões de Alimentos do governo britânico, foram publicados no "American Journal of Clinical Nutrition".As vendas de alimentos orgânicos vêm caindo em alguns mercados, incluindo a Grã-Bretanha, na medida em que a recessão vem levando os consumidores a reduzir suas compras.A Associação dos Solos disse em abril quem em 2008, após uma queda na demanda no final do ano, as vendas de produtos orgânicos na Grã-Bretanha cresceram apenas 1,7 por cento, muito abaixo do índice de crescimento anual médio de 26 por cento verificado nos últimos dez anos.(Reportagem de Ben Hirschler)

fonte: http://noticias. uol.com.br/ ultnot/cienciaes aude/ultnot/ reuters/2009/ 07/29/ult4296u78 4.jhtm


Sempre digo aos meus pacientes qual o principal objetivo em se adquirir determinado produto! Temos muitas marcas e variedades no mercado. Precisamos primeiro saber se o objetivo é emagrecer, comer menos açúcar, menos sódio ou gordura, enfim!No caso dos orgânicos, recomendo que se faça uma higienização perfeita, pois, justamente por não ser utilizado nenhum produto químico, podem ser facilmente contaminados.

Se a idéia é um produto mais natural, vá em frente!

Beijos

sexta-feira, 31 de julho de 2009

O que mais pode engordar?

Vejam que interessante esta matéria publicada na Folha de SP - 30/07/2009.

Lendo a matéria fica muito claro a importância do acompanhamento nutricional personalizado! Individualizando o tratamento é possível levar em consideração hábitos alimentares, de vida e rotina de cada um, consequentemente...só esperar o sucesso do tratamento!

JULLIANE SILVEIRADA REPORTAGEM LOCAL Pode soar como a desculpa mais esfarrapada de quem não consegue emagrecer: "Não como muito e engordo!". No entanto, os lamentos daqueles que ganham peso independentemente da ingestão de calorias podem ser reforçados por explicações científicas - e conhecê-las também ajuda a obter bons resultados em um programa de perda de peso.Há alguns anos, pesquisadores de todo o mundo buscam entender os motivos que têm levado a população a ganhar mais peso. "A epidemia de obesidade vem de 30 anos para cá. Pensa-se que as pessoas comem mais e estão mais sedentárias, mas há outras coisas que ajudam a explicar esse fato", diz Alfredo Halpern, chefe do Grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica do Hospital das Clínicas de São Paulo.Não que a fórmula consagrada para emagrecer (ingerir menos calorias do que se gasta) não deva ser levada em conta, assim como a genética, fator predisponente por excelência. Porém, há situações e agentes externos que modificam o metabolismo e favorecem o acúmulo de gordura, estimulam o apetite ou dificultam a queima das células gordurosas."É preciso saber que a gente não controla absolutamente nosso peso. Existem mecanismos, alguns ainda desconhecidos, que também exercem controle. Não é só "fechar a boca", é preciso identificar outras causas que podem estar interferindo no aumento do peso", afirma Maria Tereza Zanella, endocrinologista da Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) e professora da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).A estudante de nutrição Paula Bokor, 28, sabe bem que parar de comer pode não ser suficiente para emagrecer. Desde que sua irmã mais nova morreu, há um ano, ela acumulou 11 quilos extras. O problema também atingiu seu irmão, que ganhou 20 quilos no período."Sempre controlei meu peso com alimentação e exercícios. Nesse ano, porém, não me pesava, não dava importância. Só recentemente eu me dei conta de que tinha engordado muito e de que isso poderia estar relacionado ao trauma", diz.Mesmo controlando a alimentação e usando remédio para perda de peso com orientação médica, Paula ainda não conseguiu emagrecer. "Ao menos estacionei nos 11 quilos. Mas minha endocrinologista me aconselhou a fazer acompanhamento psicológico", diz.O estresse, causado por questões emocionais ou por pressão no trabalho, por exemplo, tem sido considerado um dos principais fatores predisponentes ao acúmulo de gordura, especialmente na região abdominal.Situações estressantes propiciam o aumento na secreção de cortisol, hormônio que estimula o apetite e aumenta a proliferação e o acúmulo das células de gordura. Para Halpern, do HC, o estresse crônico pode contribuir para elevar medidas mesmo que a pessoa não consuma calorias em exagero."Outro mecanismo descoberto mais recentemente é o aumento da secreção do neuropeptídio Y, substância que eleva a sensação de fome e favorece a deposição de gordura no abdômen", acrescenta Walmir Coutinho, professor de endocrinologia da PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Rio de Janeiro.Para que o programa de redução de peso seja eficaz, em muitos casos são indicadas terapias complementares para diminuir os níveis de estresse, como acupuntura, ioga e meditação. "Todos os mecanismos de relaxamento e liberação de endorfina ajudam e, aqui, entram também os exercícios, não só por causa da queima calórica mas pela sensação de bem-estar", afirma Zanella.Sono ruimDurante os últimos dois anos, a coordenadora de enfermagem Aline Maia, 29, trabalhava à noite, em esquema de plantão. Há dois meses, foi promovida no hospital e agora atua em horário comercial.As mudanças nos padrões de sono e o aumento da responsabilidade com o novo cargo dificultam um descanso de qualidade durante a noite. O resultado foram cinco quilos a mais adquiridos no último bimestre, ainda que a alimentação seja equilibrada no dia a dia."Fui proibida de trabalhar mais de oito horas por dia e fico estressada porque tenho de dar conta de todo o trabalho nesse período. Tenho vários estímulos que não me deixam relaxar à noite e durmo mal, fico planejando o que vou fazer no dia seguinte, demoro para pegar no sono e tenho medo de não acordar na hora: programo três celulares para tocar às 5h30."A secreção de alguns hormônios está relacionada ao sono e, quando há privação desse descanso, podem ocorrer mudanças que contribuem para o acúmulo de gordura corporal.Por exemplo, há redução de leptina -hormônio relacionado à sensação de saciedade e que também facilita o gasto de energia pelo organismo. Quando se dorme menos também ocorre o aumento na secreção de grelina, o hormônio responsável por estimular o apetite."Vemos ganho de peso em quem não tem um ritmo normal de sono, como quem trabalha em esquema de plantão", diz Márcio Mancini, presidente da Abeso (Associação Brasileira para Estudos da Obesidade e da Síndrome Metabólica).Quem sofre de apneia também apresenta mais chances de acumular gordura, especialmente na região abdominal. A doença pode causar falta de oxigênio no cérebro, o que funciona como um agente estressor, estimulando a liberação de cortisol e todos os efeitos do estresse no ganho de peso. "Magros com apneia têm mais peso do que os que não têm a doença -e acumulam gordura no tronco mais do que os outros", diz Zanella, da Sbem.RemédiosAlguns antidepressivos e antipsicóticos podem estimular o apetite ou a compulsão por açúcar em alguns pacientes e levar ao aumento de peso. Outras hipóteses são a redução do metabolismo e o aumento na reprodução de células adiposas com o uso dessas drogas.O ideal é observar se há ganho de peso que coincide com o início do uso do remédio e comentar com o médico. Em alguns casos, é possível trocar a droga por outra menos danosa ou tratar o efeito colateral."Recomenda-se desde o controle da alimentação até o uso de remédios, sempre com orientação médica. Infelizmente, os pacientes só buscam um especialista após terem engordado muito", diz Coutinho.Os corticoides, drogas de ação anti-inflamatória, têm na lista de seus efeitos colaterais o favorecimento do acúmulo de gordura. Quando ingeridos, provocam no organismo efeitos semelhantes aos do cortisol.A estudante de direito Daniela Gomez, 20, precisou tratar uma doença autoimune no sistema nervoso com esse tipo de remédio. De dezembro do ano passado até o início de julho, havia adquirido 20 quilos -recuperou os nove que perdeu durante uma internação anterior e ganhou mais 11."Fui avisada de que os remédios alteravam o metabolismo, mas não achei que seria tanto. Sempre estive um pouquinho acima do peso ideal e conseguia controlar com a alimentação."No início, sentiu o apetite aumentar muito -um dos conhecidos efeitos do cortisol- e comia o dia inteiro. Depois, tentou se controlar, mas não conseguia perder peso.No último dia 10, encerrou o tratamento com o corticoide e, desde então, perdeu três quilos.Outras causasA baixa ingestão de cálcio também tem sido relacionada ao maior acúmulo de gordura corporal. Alguns estudos sugerem que esse mineral é importante no processo de quebra de gordura e que, na sua falta, há acúmulo de tecido gorduroso.No entanto, não adianta tomar suplementos de cálcio com a intenção de emagrecer. As pesquisas mostram que o cálcio da dieta (presente em leites e derivados, por exemplo) é mais importante nas reações químicas que envolvem a queima de gordura. O indicado é atingir a recomendação de 1.000 mg diários do nutriente.Maria Tereza Zanella pondera que as associações encontradas podem ocorrer por uma intolerância à lactose mais frequente em obesos (daí a falta de cálcio no organismo). Dados preliminares de um estudo da Unifesp com 45 pacientes mostram que obesos mórbidos são mais intolerantes à lactose.Outra questão que pode contribuir para o ganho de peso é passar a maior parte do dia dentro do escritório. O problema está nas chamadas "zonas termoneutras", áreas com temperatura estável o ano todo à custa de ar condicionado. Elas não permitem que as pessoas sintam frio durante o inverno, situação que acelera o metabolismo. "E no verão, quando as pessoas tendem a comer menos por causa do calor, quem fica no ar condicionado acaba consumindo a mesma quantidade de comida", analisa Alfredo Halpern, do Hospital das Clínicas de SP.

sábado, 18 de julho de 2009

ALIMENTAÇÃO E SONO

Quem nunca teve uma noite mal dormida???
Pois é, seja por estresse, agitação, preocupação, enfim, muitos podem ser os motivos para isto. Pesquisas mostram que dormir bem ajuda no combate a obesidade. Que maravilha não é mesmo? Porém, não basta dormir muito, o sono tem que ser de boa qualidade.

Os níveis cerebrais de serotonina são dependentes da ingestão de alimentos fontes do aminoácido triptofano e de carboidratos. A ingestão de carboidratos leva ao aumento nos níveis de insulina, que auxiliam na "limpeza" dos aminoácidos circulantes no sangue e facilitam a passagem do triptofano para o cérebro.
O triptofano, uma vez no cérebro, induz à produção de serotonina que reduz a sensação de dor, relaxa e até induz e melhora o sono.

Hoje quero dar dicas de como a alimentação pode colaborar para uma boa noite de sono!
Alimentos ricos em triptofano: carne bovina (magra) e de peru, frango e peixe, leite e iogurte desnatados, queijos brancos e magros, oleaginosas como nozes, castanhas e amendoim (cuidado com os industrializados que contém muito sódio e fritos) e leguminosas, tâmara, banana.

Outros alimentos que pode colaborar para um bom sono: verduras (alface é bem interessante!), cenoura, broto de feijão, brócolis, aspargo, palmito.

Uma boa pedida é tomar um copo de leite desnatado (morno) com mel e canela!
Quanto aos chás, temos como opção a base de melissa e camomila.
O maracujá é um calmante natural, aproveite o consumo na forma de suco ou chá.

Evite ao máximo: bebidas alcoólicas, com cafeína (chá mate, preto, verde e suas variações, café, refrigerante a base de cola), chocolate, pimenta, curry, raiz forte e gengibre.

Fique atento: a última refeição antes de dormir deve ser leve, pobre em gordura e de fácil digestão. Tente realizar o jantar quatro horas antes de dormir, pois a digestão difícil pode piorar seu sono.

Bom depois destas dicas...bom sonhos!
Beijos

quinta-feira, 16 de julho de 2009

DIET X LIGHT

Qual a diferença entre diet e light?

Quero emagrecer, o que escolher?

Posso comer a vontade já que o produto é diet ou light?

O iogurte é zero gordura, que bom posso tomar quanto quiser!

Pois é, estas são dúvidas comuns... E a cada dia as gôndolas dos supermercados estão cheias destes produtos. É necessário conhecer a diferença entre o diet e light para que seu consumo seja eficaz. Então vamos lá!

Segundo a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) DIET é o alimento para fim especial, ou seja, deve estar isento de um determinado nutriente, como por exemplo, açúcar para diabéticos, sódio para hipertensos. Já o LIGHT deve ter uma redução de pelo menos 25% do valor calórico e/ou de algum nutriente (açúcar, gordura saturada ou total, colesterol, sódio) comparado com o produto tradicional ou similar de marcas diferentes.

Sendo assim, não significa que os produtos diets devem ter menos calorias, pois mesmo retirando o açúcar, por exemplo, o alimento pode conter gordura, como é o caso do chocolate, que apresenta teor calórico próximo do normal. Agora, tomando como exemplo os refrigerantes, independente de ser diet ou normal, contém açúcar e nada de gordura, portanto, pensando na versão diet, onde é retirado o açúcar e substituído pelo adoçante, acaba se tornado um alimento de baixa caloria.

Os produtos lights também exigem atenção quanto ao consumo! Muitos pensam que light é sinônimo de consumo liberado! Pois é, não é assim! Neste caso é necessário observar muito bem o rótulo para avaliar se vale a pena seu consumo quando comparado com a versão original. Identificar onde está a redução (de caloria, gordura, açúcar ou sódio) para assim justificar seu consumo. Às vezes o produto apresenta menos caloria do que o original, porém o dobro de sódio...e então...será que vale a pena???

Fique atento aos rótulos! Compare! E pense no seu objetivo antes de escolher os produtos apenas pela propaganda!!!


Referências Bibliográficas:
Portaria SVS/MS n.º 29/98 - Regulamento Técnico referente a Alimentos para Fins Especiais.Portaria SVS/MS n.º 27/98 - Regulamento Técnico referente a Informação Nutricional Complementar.Resolução ANVS/MS n.º 259/02 - Regulamento Técnico para Rotulagem de Alimentos Embalados.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Candidíase

A candidíase não pode ser curada somente através das alterações da alimentação, porém é de fundamental importância para a eficácia do tratamento. A alimentação garante que a cândida não cresça ou que tenha um crescimento insignificante.
O mais importante no que se refere ao tratamento da infecção pela cândida é melhorar a função digestiva e o sistema imunológico, assim a cândida não encontrará ambiente propício para o seu crescimento excessivo.

Pontos importantes:
Probióticos: são as bactérias intestinais benéficas que residem no nosso intestino e funcionam como um antibiótico natural contra bactérias patogênicas, vírus e fungos como a cândida. Para isso é importante que estejam em equilíbrio na nossa microflora.

Alimentos alcalinos: Alguns alimentos alcalinos: batata, legumes, frutas, creme de leite, água natural, tomate cru, temperos como orégano, salsinha, coentro, manjerona, tomilho, sálvia, mostarda, pimenta, páprica etc.

Cebola e alho: são efetivos no combate tanto da cândida quanto de parasitas. Devem ser consumidos na forma crua ou em suplementos de óleo ou extrato de alho. O processamento do alho em cápsulas provoca perda de parte de sua atividade antifúngica. A alicina é o elemento essencial no óleo de alho, responsável pelas propriedades terapêuticas antibacterianas, antiinflamatórias e antifúngicas. Utilizar diariamente durante 1 a 3 meses.

Óleos: O óleo de peixe tem atividade antifúngica comprovada, havendo também benefícios através da ingestão de peixes como truta, salmão, sardinhas, atum e bacalhau por pelo menos 3 vezes/semana. O Óleo de semente de linhaça é boa fonte de ácidos graxos Omega 3 e 6. pode consumir 1 colher (sopa) por dia.

Coma verduras: Uma alimentação equilibrada, com muita salada verde-escura no almoço e no jantar é a salvação das bactérias amigas. A folha verde tem muitas fibras, auxilia na fermentação das boas bactérias, mantém o pH do intestino adequado e, por conseqüência, destrói os fungos.

Vitaminas e minerais: o sistema imune necessita de alguns nutrientes para o seu bom funcionamento como a vitamina A, beta caroteno, vitamina E, iodo, selênio, zinco, ácido fólico e biotina. Esta última é uma das vitaminas do complexo B, e também tem atividade evitando a conversão da cândida na sua forma mais invasiva.

EVITAR
Açúcar
Deve ser evitado, pois além de nutrir a Cândida, o doce modifica o pH intestinal.

Fermentados
Vinho e cerveja são bebidas fermentadas pela ação dos fungos. Em uma situação normal, isso não significa nenhum problema para o seu organismo, porém, enquanto estiver com candidíase, todos os alimentos que contém fungos devem ficar de fora do seu cardápio. Isso inclui todos os tipos de cogumelos, vinagres e produtos que o incluem (ketchup, mostarda, azeitona e picles) e massas com fermento biológico (pão, pizza e torta).

Frutas com moderação
É liberado o consumo de até quatro porções por dia. Apenas o melão e a melancia devem ser excluídos da dieta, já que podem conter fungos (aquela cobertura branca sobre as sementes). Fungos estão presentes também em todos os tipos de frutas secas, que devem ser substituídas pelas frescas durante a crise.
Cuidado também com as frutas cítricas: abacaxi, tangerina, framboesa, jabuticaba, laranja, limão, romã, nêspera, ameixa - preta, ameixa - amarela, cidra, lima,
Frutas com menor grau de acidez: caju, caqui, cereja, damasco, goiaba, maçã, maracujá, manga, pêra, pêssego, uva, morango, carambola.

Alimentos ácidos
Os alimentos que produzem acidez são o açúcar, arroz polido (branco), bebidas alcoólicas, café, doces (chocolates, bolos, tortas, sorvete, bala, adoçados com açúcar), refrigerantes normais e todos cereais descascados. Alguns alimentos ácidos: aves, caldo de carnes, carnes e miúdos, ovos (a gema é alcalina), tomate cozido, queijos, chá preto e aromáticos.

Carboidratos
Os carboidratos refinados e simples, como biscoito, arroz, macarrão e pão branco viram açúcar rapidamente no organismo. Os produtos refinados podem ser substituídos pelos integrais, mas nas crises agudas devem ser cortados completamente. Leite e seus derivados também ficam afastados da sua alimentação. A lactose é um tipo de açúcar. O leite pode ser consumido 1x/dia. Evite o iogurte.

Líquidos com a refeição
Os líquidos durante as refeições podem atrapalhar o processo digestivo e tirar o equilíbrio da flora intestinal. Tome líquidos apenas uma hora depois das refeições. Depois disso fique à vontade. O organismo precisa de pelo menos 2 litros e meio de água por dia para eliminar todas as toxinas.

Dê preferência aos sucos e adoçantes naturais
Os sucos industrializados e refrigerantes contêm açúcar ou adoçantes que servem de alimento para a Cândida, e ácido cítrico - que é produto de um fungo.

Produtos industrializados
Cuidado, observe o rótulo para verificar a presença de ácido cítrico = acidulante INS 330. Este acidulante é um conservante natural utilizado na indústria de alimentos para conservação dos alimentos.

O acompanhamento com seu ginecologista é fundamental!
Beijos

sexta-feira, 10 de julho de 2009

AÇÚCAR

Hoje vou falar sobre o açúcar.

O açúcar é um carboidrato, utilizado para adoçar bebidas e alimentos. É produzido comercialmente a partir da cana de açúcar ou de beterraba. O mais comum é a sacarose, que é um açúcar simples. É sobre ela que quero falar!

O açúcar é responsável pelo aumento da glicemia (açúcar no sangue). Este aumento é prejudicial, pois pode levar ao desenvolvimento da bem conhecida doença: diabetes. Várias são as complicações provocadas em decorrência do diabetes não tratado adequadamente, como por exemplo, infarto, problemas de visão, problema renal, entre outras. Bom, diabetes, fica para um próximo assunto, ok!

Muitas pessoas acham que trocar o tipo de açúcar não aumenta a glicemia...Engano! A sacarose apresenta diversas formas, sendo que todas devem ser utilizadas com cautela, pois engordam da mesma maneira, e podem atrapalhar o controle da glicemia. A diferença entre os diversos tipos está no processamento, fazendo a diferença na qualidade nutricional, porém não no valor calórico.
Formas de apresentação da sacarose

Açúcar mascavo:
é um alimento obtido diretamente da concentração do caldo de cana recém extraído, não passa por processo de refinamento, mantendo assim as vitaminas e sais minerais. Este processo elimina o uso de aditivos químicos para o processo de branqueamento e clarificação. Sua cor pode variar do dourado ao marrom escuro, em função da variedade e da estação do ano em que a cana é colhida.
Açúcar demerara: é um tipo de açúcar cristal, mas mais escuro porque não sofre processo de branqueamento. Apresenta valores nutricionais similares ao açúcar mascavo. Contem alto teor de melaço em sua composição.

Açúcar refinado: é processado a partir do melado de cana ou do açúcar mascavo. O produto, que inicialmente é marrom, recebe adição de gás sulfídrico e outras substâncias químicas para ficar claro. Nesse processo, o açúcar refinado perde vitaminas e sais minerais.

Açúcar de confeiteiro: apresenta grânulos bem finos, cristalinos, podendo ou não ter aditivo.

Açúcar orgânico: produto de granulação uniforme, produzido sem nenhum aditivo químico, tanto na fase agrícola como na industrial (é livre de cal, enxofre, ácido fosfórico, folímetro e outros elementos adicionados ao produto refinado). Pode ser encontrado nas versões clara e dourada. Seu processamento segue princípios internacionais da agricultura orgânica e é anualmente certificado pelos órgãos competentes. Na produção do açúcar orgânico, todos os fertilizantes químicos são substituídos por um sistema integrado de nutrição orgânica para proteger o solo e melhorar suas características físicas e químicas. Tem valores nutricionais similares ao mascavo.

Frutose: é extraída das frutas e muitas vezes do milho. A frutose fornece a mesma quantidade de calorias que o açúcar refinado. A grande diferença é o seu "poder de adoçar", 33% maior que o açúcar comum.

Observe na tabela abaixo que entre o açúcar refinado e o mascavo/demerara, a energia fornecida é praticamente a mesma, o que muda é a quantidade de vitaminas e minerais que são maiores no mascavo e demerara, isso por não passarem por processos químicos, o que é ótimo para o organismo. Portanto, a reposta do organismo é mesma quando se trata de açúcar, porém em qualidade nutricional, vale a pena a troca! Mas lembre-se, qualquer açúcar é prejudicial quando consumido em quantidade inadequada!



Beijos! Até a próxima!

Obrigada pela votação!

Quero agradecer a todos que estão acompanhando o blog! E para todos que votaram...informo que nosso blog está entre os 100 mais votados!!!
Mais uma vez, MUITO OBRIGADA!!!
Super beijo!

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Entrevista na Mix TV

Estou encaminhando um link de uma entrevista que participei para a Mix TV, falando os diferentes tipos de dietas. Vale a pena conferir, e até aproveitar outros vídeos com diversas entrevistas.

http://www.mixsp.com.br/programas/?cat=4&m=200906

Os diferentes tipos das dietas alimentares
Especialistas chamam atenção para as “dietas milagrosas”, elas não existem. O segredo é perder quilos e manter o peso de forma saudável. Segundo a endocrinologista Ana Paula Costa, cada vez que uma dieta é lançada vem junto a esperança de ser um milagre para a pessoa emagrecer mais facilmente, mas ela ressalta que uma dieta maluca não faz ninguém perder peso, o segredo está nas várias adaptações e estilo de vida que a pessoa leva.
A Dieta de South Beach (balanceada a base de proteína e quantidade menor de carboidrato) deve ter acompanhamento médico e nutricional, pois dependendo de como funciona o rim da pessoa certa quantidade de proteína não pode ser ingerida. Dieta do Grupo Sanguíneo não tem nenhuma comprovação científica. Uma das mais populares e também das mais controversas é a Dieta do Dr. Atkins (baseada no consumo de gorduras e proteína animal, recomenda carnes vermelhas e restringe massas e doces). “São dietas muito agressivas que não matem a composição. É como dieta restritiva”, diz Ana Paula.
Conheça as dicas de como fazer uma dieta eficiente com o personal trainner Flávio Settani e com a nutricionista Viviane Lago, segundo ela essas dietas não funcionam porque ninguém vai viver a vida inteira a base de sopa, abacaxi ou banana verde. A reportagem mostra também alguns mitos das dietas. A psicóloga Rosely Solla explica que o acompanhamento psicológico é necessário para avaliar se a pessoa tem ou não problema de stress, ansiedade ou alimentação compulsiva. Homens e mulheres têm organismos diferentes e por isso devem seguir receitas diferentes.

Beijos
Viviane

Amamentação diminui risco cardíaco nas mamães

Mais um bom motivo de saúde para amamentar, além do enorme prazer de contato com nosso filho!

Amamentar é proporcionar aos bebês todos os nutrientes e proteção que os pequenos precisam durante os seis primeiros meses de vida. Isso é uma afirmação que a maior parte das mamães já sabe de cor e salteado.
Agora, nem todos sabem que amamentar faz bem para a saúde da mamãe. E se afirmarmos que amamentar diminui o risco da mamãe sofrer de doenças do coração? Quase nenhuma sabe.
Um estudo publicado na revista “Obstetrics and Gynecology” relata que amamentar diminui o risco de doenças cardíacas no futuro. O trabalho analisou 139.681 mulheres após passarem o período da menopausa e destacou que o grupo de mulheres que amamentou seus bebês por pelo menos um mês apresentou pressão arterial mais baixa, menor nível de colesterol e menor incidência de diabetes que são os grandes vilões das doenças cardíacas.
Autora do estudo e professora de Medicina da Universidade de Pittsburgh, Eleanor Bimla Schwartz afirma que o risco de se ter algum problema cardíaco caiu 10% nas mulheres que amamentaram seus filhos até mais de um ano de idade.
As doenças cardiovasculares são as principais causas de morte entre as mulheres. Estimular a amamentação, segundo o estudo americano, diminui os riscos das mulheres apresentarem fatores que levem à doenças cardíacas
Mais benefícios - Lembramos, ainda, que amamentar traz outros benefícios para a mulher, como perda do peso ganho com a gestação, o corpo volta ao normal mais rápido, menor risco de hemorragias pós-parto, menor o risco de alguns tipos de câncer e menor o risco de anemia.
Amamentar não é fácil e nem natural, procure um especialista como pediatras e fonoaudiólogos que possam dar orientações corretas de como amamentar sem o risco de desmame precoce.
Dicas
O ideal é que o bebê receba somente leite materno até os seis meses de vida.
O bebê precisa abocanhar toda a auréola do seio para poder se alimentar corretamente e não machucar a mamãe.
Lembre-se sempre que não só o bebê ganha com a amamentação, a mamãe também recebe muitos benefícios.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

FESTA JUNINA

Olá!!! Festa junina...frio...lembra o quê??? Comida!!!!

Pois é, época muito gostosa, comidas diferentes, mas cuidado, muitas calorias também!

Portanto o segredo é se devirtir, porém cuidar das quantidades.

Abaixo uma tabela de calorias para que seja possível fazer as melhores escolhas!




sábado, 13 de junho de 2009

Fertilidade masculina


Matéria publicada pela BBC Brasil

Dieta rica em antioxidantes pode melhorar fertilidade do homem, diz estudo
Uma baixa ingestão de frutas, legumes e verduras pode levar à baixa capacidade reprodutiva do homem, segundo estudo realizado na Espanha.
Cientistas das Universidades de Múrcia e de Alicante concluíram que a presença dos chamados antioxidantes nestes alimentos melhoram a qualidade do sêmen, afetando positivamente os parâmetros de concentração de espermatozoides, e ainda sua morfologia e sua mobilidade.
Ao mesmo tempo, uma dieta à base de alimentos mais gordurosos pode produzir um efeito negativo na fertilidade masculina.
"Um estudo anterior nosso mostrou que homens que comem muita carne e laticínios gordurosos têm uma qualidade de sêmen inferior à dos que consomem mais frutas, legumes e laticínios desnatados", explicou Jaime Mendiola, da Universidade de Múrcia e principal autor da pesquisa, publicada na revista especializada Fertility and Sterility, da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva.

Suplementos
Para o atual estudo, os cientistas analisaram 61 voluntários - 30 deles com problemas reprodutivos e os demais como grupo de controle.
"Observamos que nos casais com problemas de fertilidade que chegavam à clínica, os homens com melhor qualidade seminal consumiam mais verduras e frutas - portanto mais vitaminas, ácido fólico e fibras, e menos proteínas e gorduras - do que os homens com baixa qualidade do sêmen", afirmou Mandiola.
O pesquisador admitiu, no entanto, que sua equipe ainda não chegou a uma conclusão sobre se seria suficiente para um homem com problemas de fertilidade ingerir suplementos vitamínicos, em vez de aumentar o consumo de legumes e frutas.
"Vamos realizar um estudo nos Estados Unidos, onde o consumo de suplementos é muito comum, para avaliarmos este aspecto", disse Mandiola.
Os antioxidantes são um dos grandes chamarizes das indústrias de cosméticos e suplementos alimentares, que alegam que essas substâncias têm a propriedade de combater os chamados radicais livres, moléculas de oxigênio altamente reativas que circulam pelo organismo e provocariam o envelhecimento celular.



Portanto...vamos cuidar sempre da nossa alimentação! Uma alimentação equilibrada e bem orientada é muito importante!!!

Beijos

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Bebidas têm calorias?

Quando querem emagrecer, as pessoas normalmente se lembram apenas dos carboidratos (pães, arroz, massa...), das frituras e guloseimas em geral. Mas esquecem das bebidas???
O consumo de refrigerantes, sucos, leite, bebidas alcoólicas, entre outras, podem ser determinantes no sucesso ou fracasso de um programa para redução do peso. É o que mostra um estudo realizado na Johns Hopkins School of Medicine, nos Estados Unidos. Os pesquisadores monitoraram a redução de consumo de líquidos e alimentos sólidos de voluntários (810 adultos com idades entre 25 e 79 anos) durante 18 meses. Nos primeiros seis meses, nos pacientes com redução de calorias proveniente de bebidas açucaradas, tais como refrigerantes e sucos industrializados, houve perda de meio quilo no período. já no outro grupo, com redução de quantidade equivalente de calorias, porém provenientes de alimentos sólidos, a diminuição de peso foi cinco vezes menor.
Muitas vezes pensamos que as bebidas contém menos calorias, ou que pela sua consitência engordará menos! O que acontece também é não contabilizar a bebida durante o dia, lembramos de tudo o que comemos, mas não do que bebemos, e isso pode fazer a diferença nas calorias totais do dia.
Quando existe a preocupação da qualidade da alimentação, ocorre a substiuição do refrigerante por sucos. Nutricionalmente falando, a troca é válida, pois não teremos benefício nehum com o refrigerante, a não ser engordar, já com os sucos naturais, estamos cosnumindo vitaminas e minerais. Perfeito! Mas esquecemos que contém calorias, e dependendo da quantidade, também engorda. Todo mundo diz que a laranja engorda! O problema é o suco, que contém pelo menos de 4 a 5 latranjas...e ainda assim não utilizamos água para diluir além de desprezar as fibras! Portanto, cuidado. Prefira o cosnumo das frutas in natura.
Outro problema com as bebidas açucaradas entre as refeições é que, o açúcar tem absorção rápida, aumentando assim a glicemia rapidamente também, porém da mesma maneira que o açúcar no sangue sobe rapidamente também cai, provocando então maior sensação de fome. O açúcar frequentemente utilizado em bebidas também interfere nesta diferença. Esta rápida absorção do açúcar, estimula a produção de insulina, favorecendo o estoque da energia ingerida em forma de gordura.
E as bebidas diets e lights? Podem até não conter calorias, mas contém sódio, que aumenta a retenção de líquidos, piora celulite... será que vale a pena???
O estudo mostra também outro ponto interessante - a falta da mastigação! Ao mastigar e deglutir um alimento, estimulamos as regiões do cérebro responsáveis por regular a satisfação. Portanto a mastigação colabora com a sensação de saciedade mais rapidamente, ou seja, consigo comer menos.

Vamos tomar mais cuidado com as bebidas!
Água é uma boa pedida!!! Não tem calorias e realmente hidrata!
A água de coco também é uma boa opção, principalmente durante o exercício físico. Porém, observe o rótulo das bebidas industrializadas, se tiver açúcar na composição, evite! Prefira o natural.

Beijos

sábado, 30 de maio de 2009

Participem da Campanha do Agasalho!
É sempre bom colaborar.

beijos

Viviane

Campanha do Agasalho 2009

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Arroz

Vamos conhecer um pouco sobre o arroz... a base da nossa alimentação.

O arroz é classificado conforme o tamanho do grão em longo, médio ou curto. No momento da compra prefira o arroz de grãos longos ou médios e com a menor quantidade de quebrados. A cor dos grãos também é um indicativo de qualidade e, ao contrário do que às vezes se pensa, o arroz de grãos muito brancos é o que mais empapa, além de ter um valor nutritivo inferior. A cor pérola indica o melhor arroz.
A classificação numérica encontrada nas embalagens - Tipo 1 e Tipo 2 - determina a aparência e o grau de inteireza do grão de arroz. Em casa, o arroz deve ser mantido em recipiente bem fechado e armazenado em local seco e arejado. Para guardar o arroz já cozido, coloque-o em recipiente que feche hermeticamente e mantenha na geladeira.

Arroz Polido
Também conhecido como arroz branco, é o grão que foi descascado e polido, já sem importantes nutrientes. O grão curto e redondo tende a empapar quando cozido, não fica bom em pratos salgados, por isso é mais usado para fazer arroz-doce. O grão médio, com comprimento três vezes maior do que sua espessura pode ser usado em receitas salgadas ou doces, mas é especialmente indicado para o preparo de risotos.

Arroz Arbóreo
É um tipo polido, grão médio sendo ótimo para risotos. O grão longo é a escolha ideal para a maioria dos pratos salgados. Eles são de quatro a cinco vezes mais longos do que espessos. Quando cozido corretamente, fica leve e fofo, com grãos bem soltos. Ele concentra bastante amido, o que confere aquela consistência cremosa. Também tem uma incrível capacidade de absorver condimentos.

Arroz Parboilizado
A palavra parboilizado teve origem na adaptação do termo inglês parboiled, proveniente da aglutinação de partial + boiled, ou seja, "parcialmente fervido". O processo de parboilização baseia-se no tratamento hidrotérmico a que é submetido o arroz em casca, pela ação tão somente da água e do calor, sem qualquer agente químico, fazendo com que o nutrientes vão para dentro do grão. É devido a este processo que ele concentra vitaminas do complexo B, importantes para afastar doenças cardiovasculares. Suas vantagens são:
- Rico em vitaminas e sais minerais, devido ao processo de parboilização;
- Quando cozido, fica sempre soltinho;
- Rende mais na panela;
- Requer menos óleo no cozimento;
- Pode ser reaquecido diversas vezes, mantendo suas propriedades;
- Alto grau de higiene no processo de industrialização;
- Conserva-se por mais tempo.
O Brasil detém a tecnologia de parboilização mais avançada do mundo!

Arroz Integral
Este tipo mantém a camada externa do grão, o farelo. Além de conservar vitaminas do complexo B, contém fibras benéficas ao intestino.

Arroz Selvagem
Apesar do nome, não é arroz verdadeiro, mas sim uma gramínea aquática, com longas sementes escuras. Por ser caro, em geral é misturado ao arroz integral. Mais nutritivo e rico em proteínas, sais minerais e vitamina B do que o arroz comum. Bom acompanhamento para carnes e aves.

Arroz Negro
Ainda não é muito popular por aqui, embora seja conhecido na China há milhares de anos. Contém um pouco de ferro e, portanto, pode ser útil para afastar a anemia.

Arroz Patna
É o nome dado a uma variedade particular de arroz indiano, de grão longo.

Arroz Basmati
Outra variedade de arroz indiano longo, cultivado perto do Himalaia. Tem sabor peculiar e é o acompanhamento ideal para os pratos indianos.

sábado, 23 de maio de 2009

Queijos

Quem não gosta de queijos com um vinho nestes dias mais frios?
Pois é, os queijos têm boa quantidade de cálcio, mineral importante para nossos ossos!

Mas, precisamos tomar cuidado pois os queijos podem ter uma rande quantidade de gordura e sódio (sal), portanto, atenção para quem colesterol elevado e pressão alta!

Estou deixando uma tabela de queijos, pois assim fica mais fácil escolher a melhor opção para quem precisa de cálcio, mas também precisa cuidar do peso, das gorduras e do sal!
Bom divertimento!









segunda-feira, 11 de maio de 2009

Vegetariano...

Esta é uma matéria que saiu na Folha de SP - 11/05/2009

Vegetarianismo na balança
Vista como "cool' pelos jovens, dieta sem carne pode esconder distúrbios alimentares -mas, se benfeita, é saudável CHICO FELITTI DA REPORTAGEM LOCAL
Você passou a vida ouvindo sermão de vegetarianos sobre como quem não come carne é mais saudável? Contra-argumente: 20% dos jovens que se dizem vegetarianos na verdade sofrem de distúrbios alimentares, aponta uma pesquisa da Universidade de Minnesota (EUA).Foi analisado o hábito alimentar de 2.516 americanos com idades entre 15 e 23 anos. Quase um em cada 20 deles (4,3%) disse não comer carne.Dentre os vegetarianos, dois de cada dez admitiram usar a dieta verde para perder peso ou para mantê-lo. No controle da balança, usam táticas como comer pouco e vomitar.Um quarto dos jovens americanos disse que vegetarianismo era "cool" (bacana) em pesquisa do instituto Teenage Research Unlimited.No Brasil, o bacana é proteger os bichinhos: "A maioria dos vegetarianos com distúrbios diz que parou de comer carne por ter dó dos animais", diz Henrique Torres, médico do Núcleo de Investigação em Anorexia e Bulimia da Universidade Federal de MG.Cerca de 90% dos pacientes dele são mulheres com menos de 20 anos. "Elas muitas vezes mascaram problemas graves com vegetarianismo, que é aceito por pais e por amigos."Há poucos números oficiais sobre esse tipo de dieta no Brasil. Mas em países como o Reino Unido, a porcentagem de quem não come carne cresceu. Foi de 1,8% da população nos anos 80 para 7% em 2005. A proporção de jovens "verdes" é ainda maior: 12%.Mas vegetarianismo não é distúrbio: "Os vegetarianos, quando comem "direito", têm menos chances de ter doenças cardíacas e diabetes", diz Ramona O'Brien, nutróloga que fez a pesquisa americana.O trabalho indica também que os "vegetas" com dieta balanceada tendem a ingerir mais vitaminas e menos gordura do que quem come carne.Carne? Que nojo!Mais vitaminas e bem menos comida, no caso de Bianca**, 20. Ela estuda medicina em Florianópolis, onde mora só e cozinha para si. Não come nada que não tenha feito ela mesma.Quando os amigos vão a um restaurante em que se come carne ("Que nojo!"), ela fica em casa e faz um estrogonofe de vegetais com leite de soja.Ela perdeu 8 kg em nove meses de dieta "vegan" -não come ovos, leite e nenhum outro produto que venha de animais. Ainda faltam 3 kg, afirma.Por mais que diga comer "bem", está com falta de nutrientes, diz sua nutricionista.Essa mistura de "boa" alimentação com debilidade pode ser ortorexia, diz Luciana Florenzano, médica do Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Instituto do Hospital das Clínicas de SP.Como Bianca, ortoréxicos têm obsessão por pratos "saudáveis" e têm horror a gordura e a carne. "Todo ortoréxico é vegetariano, mas o contrário não é verdade", diz Luciana.O distúrbio foi descrito há pouco tempo e ainda não foi reconhecido pela Organização Mundial da Saúde, diz Luciana.Ana**, 20, é vegetariana há um mês. Deu a notícia no blog em que narra a epopeia para ir dos 95 kg que tinha ao começar a "postar" e os almejados 70 kg.Na página, feita há dez meses, admite ter tomado remédios inibidores de apetite e pede desculpas para as leitoras quando come três pães franceses. Pelos comentários, elas dão broncas, mas perdoam.A decisão de cortar a carne do prato foi tomada sem consultar um nutricionista. "Eles são sempre contrários, então pesquisei na internet mesmo."Desde então, perdeu 2 kg e diz que se sente "mais limpa". Quer deixar mais 15 kg de lado e voltar à forma que tinha quando foi eleita miss estudante, na Paraíba, há seis anos."Não faço essa dieta só com o intuito de emagrecer, e sim pelo bem-estar", afirma. Só que osentimento bom ainda não veio. Sente-se mais fraca desde que trocou as proteínas animais por chuchu e batata doce.Lentilha na piscinaCortar a carne da dieta sem procurar um especialista é o maior risco, diz a nutricionista da USP Silvia Cozzolino. Pode-se acabar virando um "vegetariano de batata", que só come carboidratos, por exemplo."O organismo do jovem tende a se adaptar a uma mudança de dieta", diz Silvia. Mas é provável que se precise de complementos de vitaminas.Há exceções: filho de vegetarianos, Juliano Vilela, 16, nunca tomou pílulas. Tampouco comeu carne. "Não sei qual é o gosto e nem quero saber."Os resultados de seus exames médicos são adequados para a idade, dizem os pais, e ele tem força suficiente para competir na natação. "Mas tem que comer lentilha depois da piscina."
** nomes fictícios

O acompanhamento nutricional é essencial para evitar carências nutricionais, seja em qualquer modificação no padrão alimentar, estilo de vida, hábitos familiares, preferências, enfim!
Beijos...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Relaxar ajuda a emagrecer!

Estamos sempre preocupados, com tudo, sempre na correria com casa, família, trabalho, e ainda pior...preciso emagrecer! Pois é, está aí um pensamento errado!!! Não podemos deixar que fazer "dieta" se torne mais um problema, desta maneira quem aguenta viver?
Vamos começar a pensar diferente!
Primeiro, esqueça a palavra dieta, vamos fazer reeducação alimentar. Dieta parece algo muito restrito, sofredor, e por pouco tempo! E queremos nos manter sempre com peso legal, não é mesmo? Se dieta é por pouco tempo, então a coisa não funciona. O tratamento eficaz para perda de peso é aquele que você consegue manter o peso para toda a vida. E você acha que isso é possível sofrendo?
Um estudo da Universidade de Otago, na Nova Zelândia sugeriu que relaxar pode ser uma forma eficaz de perder peso. Muitas vezes as pessoas comem sem preceber, pois estão preocupadas com outras coisas, ou a vontade de emagrecer é tanta que fica se torturando, as vezes até sem se alimentar.
É importante pensar que para perder peso tem que existir algumas restrições e compensações sim, porém não deve ser algo impossível de seguir. A abordagem a seguir deve se concentrar em melhorar o estilo de vida para reforçar a saúde.
Precismos estar bem para que tudo na vida tenha sucesso!
Vou colocar nas próximas matérias do blog algumas técnicas comportamentais que podem ajudar a incorporar um hábito de vida mais saudável, além de aumentar a adesão aos tratamentos de perda de peso!
Aguardem...
Abraços

quinta-feira, 30 de abril de 2009

QUINOA

Quem já ouvir falar sobre quinua??? Pois é, é um cereal bem interessante, originária da região dos Andes. É considerada um alimento completo pela FAO (Org das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) por reunir vantagens tanto de cultivo como de nutrientes.
As proteínas de que o corpo precisa são compostas de 20 aminoácidos diferentes. Pode fazer alguns deles a partir de outros aminoácidos, mas existem aminoácidos que não podem ser fabricados pelo corpo e que devem fazer parte da sua alimentação. Estes são chamados aminoácidos essenciais. A quinoa contém vários dos aminoácidos essenciais (Histidina Isoleucina, Leucina, Lisina, Metionina, Fenilalanina, Treonina, Triptofano,Valina e Arginina).
Além dos aminoácidos, contém também minerais como zinco, vitamina D e E, além das fibras e ômega 3.
Também tem a vantagem de não conter gluten, o que a torna indicada para portadores de doença celíaca.
Outras considerações:
- capaz de regular intestino;
- tem ação cicatrizante e anti inflamatória;
- capaz de promover saciedade por mais tempo, contribuindo para sentir menos fome, consequentemente, colabora no emagrecimento.

Contém 347 kcal por 100g de quinoa.

É possível encontrar para comprar em mercado, lojas de produtos naturais. EXiste um site www.quinuareal.com.br, onde você encontrará mais informações sobre a quinoa, além de saber onde comprar e outros produtos, como macarrão, farinha, barrinha. No site também tem receitas!

Concluindo, é mais uma opção para que deseja redução de peso, saúde e boa qualidade de alimentação! Aproveitem...

Beijos

Bate papo MSN

Eu quero agradecer todos que participaram do bate papo!
Foi muito bacana e produtivo!
Aguardem o próximo!!!

Beijos

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Novidade!

Estarei promovendo bate papo (via msn) uma vez por mês!

O primeiro acontecerá dia 29 de abril às 17:30h até 18:30h. Quem tiver interesse me passe um email para vivianelago@uol.com.br para que eu possa efetuar o cadastro (por favor, coloque no assunto MSN) ou cadastre o email dravivianelago@hotmail.com.

Esta é uma idéia para tornar nosso contato mais dinâmico, além de trocar experiências e esclarecer pequenas dúvidas.

Grande abraço! Até mais...

Muito Obrigada!!!

Gostaria de agradecer todos que acompanham meu blog!

Já atigimos 1000 acessos!

Muito obrigada mesmo, fico muito feliz!
Podem continuar mandando sugestões de temaas para serem discutidos no blog.
Grande abraço

quarta-feira, 15 de abril de 2009

ENXAQUECA

Sofre de enxaqueca é cruel...
Aqui alumas dicas de alimentação para evitar as crises! Mas lembre-se, enxaqueca é muito individual, seja por limiar de dor de cada, sintomas, e até mesmo o padrão de vida e de alimentação, por isso, aqui estão apenas dicas!
Procure ajuda profissional se as crises te impedem realizar atividades diárias!

  • Reduzir o consumo de cafeína: café, chá mate, chá preto, chá verde, refrigerante a base de cola.
  • Evite: bebida alcoólica, principalmente vinho tinto, vermute, champanhe e cerveja.
  • Alimentos geralmente relacionados:
    º Leite e derivados: queijos curados, leite fermentado
    º Fermento fresco, fermento para pão e pão fermentado
    º Picles, molho de soja (shoyo), missô
    º Algumas leguminosas: feijão, lentilha, soja
    º Nozes, amendoim
    º Chocolate, cacau
    º Miúdos, carne seca, curada ou defumada
    º Alimentos gordurosos como carne de porco, amendoim e nozes
    º Frutas abacate, banana prata ou da terra, frutas cítricas, figo, maracujá, abacaxi, framboesa, ameixa e passas
    º Temperos e realçadores de sabor, principalmente adoçantes artificiais, melado e glutamato

    DICA: A combinação de água de coco (importante na hidratação e fornecimento de sais minerais) e gengibre em pó (responsável pela diminuição do processo inflamatório) pode colaborar na melhora das crises. Pra isso, consumir 200 ml de água de coco para 1 colher (chá) de gengibre em pó.

Espero que as dicas ajudem!!!

Beijos

sábado, 4 de abril de 2009

Linhaça

Podemos destacar vários benefício da linhaça, entre elas, a capacidade de diminuir riscos de alguns tipo de tumores (próstata, mama, cólon), redução dos níveis de colesterol. Porém muitas pesquisas ainda estão em andamento para avaliar a segurança quanto ao seu consumo, já uqe a linhaça contém substâncias capazaes de interferir na absorção de alguns nutrientes.

O calor diminui a quantidade de algumas proteínas suspeitas por esta interferência, por isso recomenda-se aquecer a linhaça por 15 minutos, em fogo baixo. Agora, se for utilizá-la em receitas para pão ou biscoito, não há necessidade deste procedimento.

Outra dica é triturar a linhaça, isso porque a casca é resistente, podendo passar intacta pelo trato digestivo, reduzindo assim os efeito positivos. Você pode comprála já triturada, porém se for fazer em caso, utilize a tecla pulsar do liquidificador. Ela não deve ficar pó! Alguns especialistas dizem que a linhaça sofre oxidação rapidamente, por isso, a recomendação é triturar apenas a quantidade a ser utilizada.

Eistem dois tipos de linhaça:
DOURADA: difícil encontrá-la por aqui, já que gosta de clima frio. Seu sabor é mais suave do que a escura.
ESCURA: mais fácil de encontrá-la aqui no Brasil. Sua casca é mais resistente do que a dourada, porém com relação ao valor nutricional, nenhuma diferença.

BENEFÍCIOS

Vitamina E: antioxidante que contribui para o bom funcionamento celular retardando o envelhecimento precoce e doenças degenerativas.

ômegas 3 e 6: gorduras de boa qualidade que contribuem para melhora do sistema imunológico, aparência da pele, unhas e cabelos. Além dos benefícios para a saúde do coração! Estas gorduras podem até melhorar o humor! Quer coisa melhor.....

Fibras: contribuem para um bom funcionamento do intestino, além de controlar o açúcar no sangue e o colesterol. Para quem quer perder peso, as fibras contribuem com o aumento do tempo de saciedade, desta maneira, comendo menos!

Lignanas: é um fitoquímico cuja conformação celular é semelhante ao estrogênio, protegendo assim, as mulheres contra os tumores de mama, miomas uterinos, no tratamento da menopausa e reposição hormonal.

1 colher (de sopa) de linhaça contém 74 kcal

Lembre-se, que qualquer informação de algum alimento, por si só pode não resolver os problemas! O ideal é conseguir equilibrar alimentação geral, praticar exercício!!!
Enfim...equilíbrio é o grande segredo!

Um abraço

quinta-feira, 2 de abril de 2009

MITOS...

Matéria publicada no site da uol saúde! Bem interessante ...

Manga com leite, coca com mentos: essas combinações são explosivas de verdade?
Por Cristina Almeida
Especial para o UOL Ciência e Saúde

Chupar manga e tomar leite em seguida só pode fazer mal se a manga estiver passada e o leite estiver azedo. Estudiosos afirmam que tabus alimentares têm raízes nas tradições religiosas que impunham obrigações ao corpo para salvar a alma. Excessos da gula só poderiam ser controlados pela difusão dessas crenças, mas hoje especialistas afirmam que, na grande maioria das vezes, renunciamos aos pequenos prazeres da mesa sem nenhum fundamento científico. Uma das lendas modernas sobre alimentos é a mistura de Coca-Cola diet com as balas Mentos, sejam elas de frutas ou menta. O mix seria explosivo para o estômago. Tonya Coffey, professora de Física da Appalachian State University, na Carolina do Norte, EUA, desvendou com seus alunos os mistérios dessa crença. Experiências anteriores haviam concluído que o refrigerante é uma bebida ácida (cafeína, benzoato de potássio - conservante utilizado para bebidas gaseificadas e aspartame) que, em contato com os componentes da bala (goma arábica e gelatina) produzia uma reação capaz de fazer jorrar jatos da bebida a uma altura de até 10 metros.Entretanto, conforme recente declaração da física americana à revista "News Scientist", depois de vários testes com diferentes substâncias (balas de menta, sabão de máquina de lavar, sal de cozinha e areia, além de outros refrigerantes) , ela concluiu que a causa desse efeito explosivo é a aspereza e a forma da bala que, inserida na bebida, provoca a quebra da atração existente entre as moléculas de água, criando bolhas maiores."As moléculas de água gostam de estar próximas umas das outras. Quando alguma coisa é inserida no refrigerante, há uma ruptura dessa rede de moléculas. Se a bala tivesse superfície e volume maiores, haveria ainda mais espaço para que essas bolhas se movimentassem, causando um efeito ainda mais explosivo", explica. A idéia pode ser interessante para atrair alunos para a aula de Ciências, mas nada causa para o corpo humano. Essa é a opinião de Pietro Migliaccio, dietólogo, gastroenterologista e professor de ciência da alimentação da Università degli Studi La Sapienza de Roma. Segundo o especialista, o mito nasceu por causa do excesso de espuma que a mistura produz. E declara, "desconheço algum estudo científico que tenha provado que juntar Coca-Cola e Mentos possa ser danoso para o estômago". Vinho, melancia e mergulhosMigliaccio desvenda outro mito que diz ser proibido tomar vinho e comer melancia. "Não há interação entre os componentes desses dois alimentos, de forma a torná-los incompatíveis para uma mesma refeição", informa. "O que pode acontecer é que exista uma intolerância individual para esses dois alimentos. Nesse caso e, somente nesse caso, é que desaconselho o consumo em conjunto ou em separado", completa.Para quem tem dúvidas se pode ou não dar um mergulho depois do almoço, o especialista italiano explica que, ao comermos, estimulamos uma vasodilatação na região do estômago e do intestino. Essa atividade favorece o maior fluxo de sangue, útil para o processo de absorção dos nutrientes. Por isso, depois de comer "é melhor evitar a imersão em água fria, que induz a uma vasoconstrição imediata e sucessiva congestão, assim como a prática de esportes, pois o aumento da requisição de oxigênio no sangue, por parte dos músculos, entraria em competição com as necessidades do processo digestivo", diz Migliaccio.Já a Cruz Vermelha americana disponibiliza em seu site um guia para natação segura. O conselho é usar o bom senso quando se deseja nadar após uma refeição: "não é necessário esperar um hora para nadar em segurança. Mas depois de uma refeição farta, espere que a digestão se inicie antes de praticar qualquer atividade vigorosa como a natação". Úlceras e pimentaE comidas apimentadas, causam realmente úlceras? Por muitos anos pensava-se que as úlceras fossem consequentes a um estilo de vida onde comidas condimentadas, trabalho intenso e exposição a estresse físico ou mental fossem os vilões. Bennett Roth, chefe do setor de gastroenterologista da Universidade da Califórnia (Los Angeles), declarou na última semana que, em 80% dos casos, o que causa as úlceras são o uso de antiinflamató rios e a presença da bactéria Helicobacter pylori. Se é assim, o consumo de aspirina pode ser bem pior do que a pimenta, que apenas pode agravar os sintomas da úlcera, assim como o álcool ou o fumo.

Veja outros mitos e verdades sobre os alimentos:

Café atrasa o crescimento
FALSO: a cafeína não interfere no crescimento, mas deve ser escassa na alimentação das crianças. Excesso de cafeína pode impedir a absorção de cálcio e outros nutrientes).

Peixe faz bem para o cérebro
VERDADEIRO: o peixe é uma boa fonte de ômega-3, que tem sido considerado importante para a saúde do cérebro.

Comer cenoura melhora a visão
PARCIALMENTE VERDADEIRO: a deficiência de vitamina A pode causar cegueira, e a cenoura, assim como outros vegetais com alta concentração dessa vitamina, ajuda a manter a saúde dos olhos. Mas aumentar seu consumo não melhora a visão.

Se você engolir caroço de melancia, uma planta nascerá em sua barriga
FALSO: embora pareça óbvio, vale a pena frisar que sementes precisam de condições especiais para germinar, como umidade, temperatura adequada, oxigênio e luz. Na escuridão do estômago, esses elementos não estão presentes e, assim, uma semente nunca poderia brotar.

Comer casca de pão encrespa o cabelo
FALSO: a textura do cabelo é genética e não existem estudos científicos que demonstrem relação entre o alimento e as madeixas. Aliás, um estudo realizado pela German Research Center of Food Chemistry in Garching, dirigido por Thomas Hofmann, professor da Universidade de Munster, Alemanha, descobriu que a casca torradinha é rica em antioxidantes úteis para a prevenção do câncer.

terça-feira, 31 de março de 2009

Nutrição Funcional

A Nutrição Funcional é uma evolução natural da ciência do corpo humano que está fundamentada nas informações fisiológicas e bioquímicas do organismo, compreendendo a interação que existe entre todos os sistemas do corpo em conjunto com as características dos nutrientes.

Os distúrbios funcionais podem se manifestar por meio de: enxaqueca, insônia, depressão, hiperatividade, distúrbios de concentração e aprendizagem, alterações de humor, ansiedade, compulsões, irritabilidade, problemas gastrointestinais, rinites, sinusites, dores musculares e articulares, fadigas inexplicáveis, dermatites, doenças auto-imunes, obesidade, entre outras.

A Nutrição Funcional possibilita restabelecer o equilíbrio orgânico e prevenir novos distúrbios funcionais como, por exemplo: enxaqueca, insônia, depressão, alterações de humor, ansiedade, compulsões, irritabilidade, problemas gastrointestinais, fadigas inexplicáveis, dermatites, doenças auto-imunes, obesidade, entre outras.

Alimento funcional é aquele alimento ou ingrediente que, além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta usual, produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou efeitos benéficos à saúde, devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica. A eficácia e segurança desses alimentos devem ser asseguradas por estudos científicos.

Alguns exemplos abaixo:
- Ácidos Graxos Omega 3: importantes na prevenção de doenças cardiovasculares; prevenção e controle de doenças auto imunes e inflamatórias. Fonte alimentar: peixes como salmão, atum, sardinha, óleo de linhaça.

- Flavonóides: possui efeito antioxidante; redução dos níveis de LDL colesterol (colesterol ruim). A soja pode também contribuir para alívio das ondas de calor em mulheres na menopausa. Fonte alimentar: uva, amora, framboesa, frutas cítricas, soja, repolho, chá verde.

- Revesratol e quercetina: redução do risco de doenças cardiovasculares; inibição da formação de carcinógenos, coágulos e inflamaçãoes. Fonte alimentar: casca da uva, uva, maçã.

- Isoflavonas: alívio dos sintomas da menopausa; redução do risco de doenças cardiovasculares; redução do risco de câncer de mama e próstata. Fonte alimentar: soja, leguminosa, ervilha.

- Betaglucana: controle da glicemia e colesterol. Fonte alimentar: aveia, grãos, cevada.

- Licopeno: possui atividade antioxidante; redução do risco de doenças cardiovasculares; proteção contra o câncer, principalmente o de próstata. Fonte alimentar: tomate, goiaba e melancia.

- Probioticos: melhora da saúde intestinal; redução do risco do câncer de cólon; controle do colesterol. Fonte alimentar: frutas e vegetais em geral, além dos grãos integrais.

- Prebióticos: melhora da saúde intestinal; redução do risco do câncer de cólon; melhora da intolerância à lactose. Fonte alimentar: iogurtes e leites fermentados.

Aproveitem os benefícios dos alimentos!
Grande beijo.