sexta-feira, 25 de março de 2011

Salmão e Mal de Alzheimer

Uma pesquisa israelense confirmou que comer peixes como salmão, ricos em Ômega 3, reduz os efeitos negativos do Mal de Alzheimer. O vilão dessa moléstia é um gene denominado APOE4, que está presente em metade dos portadores de Alzheimer e em 15% da população em geral.

Experimentos realizados com camundongos pelo professor Daniel Machelson, da Universidade de Tel Aviv, mostraram que a ingestão de alimentos ricos em Ômega 3 e baixos teores de colesterol reduziram significamente os efeitos negativos do gene.

O APOE é encontrado em todos os seres humanos e se apresenta em duas formas: um gene APOE 'bom' e um gene APOE 'ruim', ou APOE4.

- Condições externas que são geralmente consideradas boas podem ser prejudiciais se o rato for um portador do gene APOE4. Extrapolando esta experiência para a população humana, podemos dizer que os indivíduos com o gene APOE4 'ruins' são mais susceptíveis ao estresse causado por um ambiente que estimule o seu cérebro - diz Michaelson.

Expandindo sua pesquisa, Michaelson verificou que uma dieta rica em óleos de peixes com Ômega 3 neutraliza os efeitos nocivos do APOE4.

Fonte: Jornal do Brasil

Meus comentários
Já sabemos que vale a pena o consumo de alimentos ricos em ômegas e cada vez mais pesquisas mostram benefícios a mais. Agora, lembre-se que não vale fritar o peixe!!!O ideal é que ele seja assado, cozido ou grelhado.
Existe diversas espécies de salmão, isso faz com exista uma variação calórica de acordo com a espécie. Geralmente apresenta de 120 a 180 kcal por 100g de salmão cru. Já a quantidade de ômega 3 está presente em todas as espécies.
Aproveitem esta maravilha saudável!

Grande abraço
Viviane

sexta-feira, 18 de março de 2011

Sem lactose

Intolerância à Lactose (IL) é o termo utilizado para pessoas que não conseguem digerir produtos lácteos (leite e seus derivados). Esta impossibilidade de digestão geralmente ocorre em pessoas que não produzem a enzima lactase ou produzem-na em quantidade insuficiente para realizar a digestão da lactose. É normal que nosso corpo reduza a quantidade de produção de enzima lactase com o passar dos anos. Outra situação muito comum é a intolerância à lactose em crianças. No entanto, ainda na fase infantil, este tipo de intolerância alimentar, assim como intolerância ou alergia a ovo, nozes e outros alimentos pode ser passageira.
A Lactose é o açúcar do leite, um dissacarídeo que com a ação da enzima lactase, transforma-se em dois monosacarídeos: glucose e galactose. Estes carboidratos simples, depois de formados, são facilmente absorvidos pelo corpo. No entanto, a falta ou deficiência na produção da lactase faz com que a lactose chegue até o intestino grosso sem ser absorvida pelo organismo. Ela é fermentada por bactérias causando gases e sintomas típicos de indigestão.
O limite de lactose suportado, sem que os sintomas apareçam, é muito individual, ou seja, deve ser conhecido com a própria experiência. Obserando a inclusão e exclusão dos alimentos. O iogurte pode ser consumido, dependendo da tolerância. Os mais aceitos são aqueles que contêm os lactobacilos, que têm capacidade de fermentar a lactase em quantidade suficiente para a digestão da lactose.
Lembre-se que os alimentos que têm o leite como ingrediente pode não ser tolerado também!
Abaixo uma lista com os alimentos que contém lactose. Lembre-se de que alguns destes produtos possuem variação na sua composição, de acordo com cada fabricante. Os produtos que estão marcados com asterisco podem conter variações. Por exemplo: margarina está na lista de produtos sem lactose, mas algumas marcas utilizam leite em pó em sua fabricação. Por tanto, em caso de dúvida, verifique os ingredientes no rótulo.
Contém Lactose
Leite Condensado integral / desnatado
Creme de leite integral / desnatado
Leite integral /semi-desnatado / desnatado
Iogurte comum
Requeijão
Queijos frescos
Barras de cereais com cobertura de chocolate
Maionese industrializada
Achocolatados*
Pães para cachorro quente / cheeseburguer
Sopa creme instantânea*
Temperos em pó / tabletes*
Biscoitos recheados
Risoles
Panquecas
Molhos para saladas*
Salsichas*
Misturas para bolos
Purê de batatas

Além dos leites de soja, algumas empresas estão produzindo leites com baixo teor de lactose. Enquanto 1 litro de leite comum possui em média 4,9g de lactose, os leites com baixo teor de lactose possuem apenas 1g, quantidade digerível por muitas pessoas que possuem IL. Para as pessoas que não gostam do sabor da soja, os leites com baixo teor de lactose possuem grande vantagem, pois além de você ingerir os mesmos nutrientes do leite comum, o sabor fica inalterado. Além disso, ainda é possível utilizá-lo em diversas receitas que levam leite: doces, salgados, batidas, sorvetes, entre outras.

Mas lembre-se que a intolerância Pa lactose é confirmada com exame de sangue. As vezes as pessoas podem sentir um desconforto com o consumo de leite, porém não é diagnosticado intolerante. Por isso, não vá tirando este grupo alimentar de sua alimentação sem orientação adequada! Pode trazer prejuízos nutricionais.
Beijos
Até a próxima.
Viviane

sexta-feira, 11 de março de 2011

Autocompaixão

Uma nova questão na área de pesquisa de psicologia vem sendo discutida. É a chamada autocompaixão, que nada mais é do que a maneira que cada um se vê!
Pois é, sempre digo, e não é difícil de se ver no nosso meio, seja familiar, profissional, enfim, pessoas se desdobrando para ajudar o próximo...mas e a ele mesmo?
As pesquisas têm mostrado que ao aceitar nossas imperfeições, conseguimos cuidar melhor de nós mesmos, nos deixando mais otimistas e menos depressivos e ansiosos. Isto pode colaborar muito em qualquer tratamento.
Onde quero chegar???
Ora, se reconheço que preciso melhorar, se acredito que posso melhorar, um tratamento para redução de peso ou para incorporação de hábitos de vida saudáveis se torna muito fácil e tranquilo. Acontece naturalmente...
Pensem nisso!!!
Beijos
Viviane

sexta-feira, 4 de março de 2011

Marca-passo implantado no estômago controla fome

Marca-passo implantado no estômago controla fome

Aparelho é similar ao usado para o coração
DA ASSOCIATED PRESS

Há cinco meses, Patrick Hetzner implantou um marca-passo no estômago que pode controlar seu apetite. Desde que colocou o dispositivo, Hetzner, 20, um carteiro de Munique, perdeu mais de dez quilos. Ele faz parte de uma pesquisa clínica. Desde fevereiro, o dispositivo já é vendido em toda União Europeia.
O marca-passo é parecido com o usado para o coração. O aparelho transmite impulsos elétricos para "enganar" o estômago e o cérebro e dar a sensação de saciedade. Hetzner diz que sente os impulsos minutos após começar a comer. "Sinto uma pressão no estômago ou um beliscão, mas não é ruim." Ele fica satisfeito com metade da quantidade de comida. Até agora, 65 pacientes receberam o dispositivo. Metade está com ele há pelo menos um ano e a maioria perdeu 20% do peso.
Já existem outros marca-passos para estômago no mercado, mas muitos são usados para aliviar náuseas e vômitos, e não para combater a obesidade. O efeito colateral mais sério registrado foi uma infecção relacionada à cirurgia. Na Grã-Bretanha, a operação custa 15 mil euros (R$ 34 mil). Segundo a fabricante, a bateria dura cinco anos e cabe ao paciente decidir quanto tempo vai manter o aparelho. Hetzner quer ficar com o marca-passo por quatro anos. "Quero ter certeza de que meu corpo vai se adaptar a essa nova forma de comer."

Meus comentários
Esta matéria publicada na Folha de SP, mostra que o controle da saciedade é de extrema importância. Precisamos aprender a identificar nossas sensações, identificar quando já estamos satisfeitos. A grande maioria das pessoas só se sente satisfeito quando começa a passar até mal. Por isso sempre digo, primeiro identifique se está com fome ou vontade. Se for fome, repense na sua alimentação... será que você está muito tempo em jejum? Será que está comendo errado? Qual foi o horário da sua última refeição, será que tem mais de três horas? Se não tiver, provavelmente não é fome...
A identificação de sensações nos permite realizar melhores escolhas alimentares, além de impor limites! Aprenda a mastigar devagar, saborear o que está comendo...
Não faça da alimentação uma ação automática! Preste atenção, assim como você presta atenção enquanto dirige o carro... você pode fazer a mudança de marcha automaticamente, porém a ultrapassagem de outro carro é sempre bem pensado e calculado, certo? Com sua alimentação também... o ato de mastigar é instintivo, acontece naturalmente (observe o bebê, que o ensina?), porém o que e quanto comer não pode ser instintivo, deve ser pensando e calculado também!!!
Pensem bastante...

Beijos
Viviane